Dor na atividade física, quando preocupar?

Início/Traumatologia Esportiva/Dor na atividade física, quando preocupar?

Dor na atividade física

Apesar de desconfortável, a dor na atividade física não impossibilita movimentos ou qualquer outra atividade.  Quando, mesmo em repouso, a dor não passa e te impede de fazer coisas básica, devemos preocupar. Há boas chances dos músculos ou articulações terem sofrido uma lesão mais grave.

dor na atividade física muscular

Em boa parte das vezes, a lesão articular ou muscular indica que houve algum exagero durante a atividade física, seja na carga ou intensidade dos exercícios, falta de alongamento e aquecimento ou mesmo com uma postura inadequada durante a execução dos mesmos. Além do desconforto contínuo, a região lesionada pode apresentar inchaço, rigidez e vermelhidão. É necessário parar os exercícios imediatamente para não agravar o quadro. Mesmo dores que aparecem após os exercícios, mas são persistentes, principalmente articulares, são preocupantes.

Lembre-se, dores são normais ao iniciar atividade física, contudo, são leves e cessam com o repouso e compressas. Em excesso, porém, é um claro sinal de que as coisas não vão bem. Não espere piorar para modificar o exercício. Fazendo exercícios regularmente e respeitando os períodos de descanso, que geralmente são de 24 a 48h, dá para sentir que a dor se torna cada vez mais tranquila e suportável, à medida que o corpo se habitua ao esforço realizado.

Pode ser feito um repouso da região afetada por 2 semanas e retornar para o exercício com uma carga menor. Caso a dor tenha vindo acompanhada de uma sensação de estalido ou redução da mobilidade articular, busque assistência de um médico.

importância do aquecimento

Prevenção da dor na atividade física

  • Consulte um médico antes de iniciar atividades físicas;
  • Sempre passe por avaliação física prévia, para obter orientação adequada sobre os treinamentos;
  • Respeite seus limites;
  • Faça aquecimento antes de cada sessão de exercício;
  • Use roupas e calçados adequados (por exemplo: tênis específicos para o esporte);
  • Respeite os sinais do corpo, evitando sobrecarregá-lo;
  • Quando houver dor, é sinal de que algo está errado. Respeite esse aviso;
  • Coloque gelo caso uma dor aconteça, que alivia a dor e o inchaço;
  • Após o evento álgico, faça repouso. Não havendo alívio, procure um médico.
Muito bom! Você leu todo o conteúdo. Gostou? Divulgue para seus amigos(as) e deixe um comentário ou dúvida aqui 

HORÁRIOS DE ATENDIMENTO

Segunda à Sexta em horário comercial
Em Brasília / DF, no plano piloto, Asa Norte, Ceilândia e Águas Claras.

Veja a agenda clicando aqui

Perguntas frequentes

O que acontece com o músculo após o treino?2020-03-08T17:48:21-03:00

Os especialistas explicaram que, após um treino de musculação com carga pesada, ocorre um aumento da produção de proteínas em 24h a 48h. É aí que os músculos crescem. Já a dor é geralmente provocada pelo resíduo de ácido lático nos músculos após as reações químicas realizadas para gerar energia.

Porque o corpo treme depois do treino?2020-03-08T17:46:48-03:00

Nesse caso, a tremedeira esta associada ao esforço enorme e ao fato de ela estar recrutando praticamente todas as fibras musculares a exaustão. O objetivo é provocar microlesões dessas fibras que ativam o processo de hipertrofia muscular. Em outros casos, a tremedeira pode ser por conta da falta de força nos músculos.

O que fazer para aliviar a dor muscular depois do treino?2020-03-08T17:45:23-03:00

O pico ocorre 48 horas após o estímulo. Em 72 horas, ela começa a diminuir e em 96 horas a cessar. Para reduzir a intensidade da dor, deve-se alternar os dias de treino de musculação com de exercícios aeróbicos, além de treinar músculos diferentes para não repetir o estímulo no mesmo local.

É normal sentir dor depois de fazer exercícios físicos?2020-03-08T17:42:56-03:00

A dor muscular que acontece após o esforço físico é diferente das lesões musculares. A dor leve após a atividade física é comum em muitos casos, mas, se for forte e ocorrer em pequenos esforços, pode significar que há lesões, entorses ou outras complicações sistêmicas.

Artigos relacionados

2020-03-08T17:54:04-03:00

Sobre o Autor:

Dr. Márcio R. B. Silveira, formado em 2006 pela faculdade federal de medicina da Universidade de Brasília (UnB), com especialização, no ano de 2009, em Traumatologia e Ortopedia pela residência da Secretária de Saúde de Brasília / DF, em sua rede pública de hospitais, com subespecialização, no ano de 2012, em cirurgia do joelho e traumatologia esportiva em Belo Horizonte / MG, acompanhando os médicos do Cruzeiro Esporte Clube e os serviços dos hospitais Maria Amélia Lins, Lifecenter, Belo Horizonte, Belvedere e João XXIII. Atuante principalmente no tratamento de lesões de cartilagem, buscando sua reparação e transplante; lesões de menisco com sutura em crianças e reparo; rupturas ligamentares articulares e sua reconstrução biológica e prevenção; tratamento da artrose, com medidas medicamentosas e artroplastias; tendinites e rompimento de tendões provocadas tanto por atividades esportivas, como por alterações degenerativas; fraturas em idosos que apresentam ossos mais frágeis; e enfoque na reabilitação muscular e postural. Médico ortopedista especialista em Cirurgia do Joelho, Traumatologia Esportiva e Ortopedia do Idoso, atende em Brasília / DF, na sua clínica Salus Ortopedia, Fisioterapia e Acupuntura, fornecendo tratamento conservador e operatório no Plano Piloto, Asa Norte, Águas Claras e Ceilândia.

Deixe um comentário ou questionamento