A ruptura do tendão patelar é frequente?

Não, a ruptura do tendão patelar é um relativamente pouco frequente, porém muito incapacitante.

Ruptura do Tendão Patelar no Joelho

Qual a idade típica de lesão?

A ruptura do tendão patelar é mais comumente visto em pacientes com menos de 40 anos de idade. Porém temos observado a lesão em pacientes cada vez mais velhos e não são infrequentes lesões em pacientes com 55-65 anos.

Como ocorre a ruptura do tendão patelar?

A ruptura tende a ocorrem durante as atividades atléticas ou mesmo descer uma rampa correndo, A ruptura é provocada por uma contração violenta do quadríceps com o joelho flexionado.

Porque ocorre a ruptura do tendão patelar?

A Ruptura do tendão patelar representa a fase final de uma tendinopatia degenerativa resultante de microtraumas repetitivos do tendão. Esta ruptura pode ocorrer também com traumas menores nos pacientes cujos tendões estão enfraquecidos por doenças sistêmicas. Nesses casos o paciente em geral relata uma história prévia de dor na face anterior do joelho.

CIRURGIA PRÉVIA

O tendão patelar pode se romper com mais facilidade se estiver enfraquecido por uma cirurgia prévia. A reconstrução do ligamento patelar, a cirurgia de prótese de joelho e a cirurgia do ligamento cruzado anterior ( LCA ), quando se usa o terço central do tendão patelar como enxerto, são os procedimentos cirúrgicos mais comuns que comprometem a integridade do tendão patelar e o deixam propenso à roturas.

Como é feito o diagnóstico da Ruptura do tendão Patelar?

O diagnóstico é feita com base na presença de um defeito na face anterior do joelho, dolorosa e palpável na substância do tendão imediatamente abaixo da rótula, a rótula em geral sobe e fica mais alta em relação ao outro joelho, o paciente perde a capacidade de esticar o joelho e para ficar em pé precisa colocar a não na parte da frente do joelho ou da coxa para impedir que o joelho flexione.

Quais exames confirmam a lesão do tendão patelar?

AS radiografias simples no joelho podem mostrar a rotula alta, nas rupturas parciais a ressonância e o ultrassom confirmam o diagnóstico.

Qual o prognóstico após uma ruptura do tendão patelar?

O prognóstico depende em grande parte no intervalo entre a lesão e o reparo. Cirurgia logo após a lesão é recomendado para melhorar os resultados. Após alguns dias a rotula sobe devido a contração do quadríceps e afasta as bordas tendinosas dificultando a sutura e piorando o resultado pós operatório.

TRATAMENTO

O tratamento das roturas do tendão patelar depende do tipo de lesão ( incompleta ou completa ), idade e grau de atividade do paciente. Lesões incompletas costumam ser tratadas com imobilização do joelho por algumas semanas e fisioterapia. As roturas completas são tratadas com cirurgia. Os resultados cirúrgicos costumam ser bons quando o procedimento é feito logo após a rotura do tendão.

CIRURGIA DO TENDÃO PATELAR

O tratamento cirúrgico da rotura completa do tendão patelar é necessário para que o mecanismo extensor do joelho recupere o máximo da sua função. A cirurgia reconecta a patela ao tendão rompido. Existem várias técnicas cirúrgicas para reparar o tendão patelar lesionado, mas a mais comum é aquela onde suturas amarram o tendão à patela. Enxertos de outros tendões podem ser usados, em alguns casos, para reforçar as suturas.

 

O paciente precisa de fisioterapia no pós operatório?

Sim, Um programa de reabilitação agressiva, enfatizando no início a amplitude de movimento, sem permitir carga e posterior fortalecimento do quadríceps, irá melhorar os resultados da cirurgia. 

Quais as principais complicações da ruptura do tendão patelar?

Pacientes que se submetem ao reparo após vários dias estão em risco para um resultado comprometido, com perda da flexão completa do joelho e diminuição da força do quadríceps. Na cirurgia retardada em geral conseguirmos restabelecer o mecanismo extensor, porém, com perda de força e flexibilidade, o que leva a dificuldade para correr e praticar esportes.

Agende uma consulta >
Conheça mais sobre as rupturas do mecanismo extensor do joelho >
Saiba mais sobre a ruptura do tendão patelar >