Manter tala de suporte no joelho até 6 semanas de pós-operatório
Uso de suporte de peso (muletas) por 6 semanas de pós-operatório
Geralmente pode-se retomar a dirigir após 6 a 8 semanas do pós-operatório

Dr. Márcio Silveira: Ortopedista Especialista em Traumatologia Esportiva, Joelho - Adulto e Infantil - e Idoso evitar posteriorizacao tibia

FASE 1

Imediatamente após a cirurgia até 4 semanas depois
Proteger a incisão cirúrgica

0-1 semana: uso de joelheira que limita a felxão, ficando em extensão o tempo todo
– com 1 semana de pós-operatório, usar joelheira que permita apenas ROM junto com um fisioterapeuta

Técnicas para ROM passivo:
– Supinação (deitado de barriga para baixo): o fisioterapeuta deverá manter uma pressão anterior na tíbia proximal enquanto o joelho estiver flexionado (forçar a tíbia de posterior para anterior)
– Pacientes com reconstrução do ligamento posterior e anterior, manter uma posição neutra da tíbia proximal enquanto o joelho estiver flexionado
– Prevenir flexão do joelho o tempo todo
– usar suporte de peso com bengala e joelheira travada para extensão
– deixar um travesseiro embaixo da tíbia proximal, na região posterior (de trás do joelho) para prevenir o movimento da tíbia durante o descanso

Exercícios:
– mobilização patelar
– fortalecimento do quadríceps com isometria usando a tala
– – elevação da perna estendida ( joelho em extensão e manter no ar por 16-20 segundos)
– abdução e adução do quadril
– bombeamento do pé (tornozelo)
– estiramento da panturrilha
– pressionar a panturrilha com faixa, depois, elevar a panturrilha ao estender o joelho
– extensão do quadril
– estimulação elétrica do quadríceps quando necessário (fisioterapeuta)

FASE 2

4ª a 12ª semana após a cirurgia

Objetivos: conseguir total extensão do joelho, conseguir cerca de 60º de flexão no joelho, não ter sinais de inflamação e adquirir bom desenvolvimento do quadríceps
– aumentar ROM, principalmente na flexão
– normalizar a marcha
– aumentar a força do quadríceps e flexibilidade da panturrilha / jarrete (posterior de coxa)
– 4-6 semanas: enquanto estiver em casa ou junto com o fisioterapeuta, o paciente poderá caminhar com a joelheira destravada
– 6-8 semanas: usar joelheira destravada para todas as atividades
– 8 semanas: descontinuar a joelheira conforme a indicação de nossa equipe
– 4-8 semanas: descarga de peso parcial com bengalas
– 8ª semana: descontinuar a bengala em caso de:
– – extensão completa do joelho
– – flexão do joelho entre 90 a 100 graus
– – melhora da marcha
– – muitas vezes é preciso manter a bengala por 12 semanas

Exercícios:

4-8 semanas:
– deslizamento na parede, agachamento discreto (0-45º)
– leg press com 0-60º
– ficar em pé de quatro formas: flexão de quadril, extensão, adução e abdução
– andar nas pontas dos pés dentro da água

8-12 semanas:
– bicicleta ergométrica: deixar o banco mais elevado que o normal e os pés fora do suporte afivelado
– aparelho de subida em degraus
– bicicleta elíptica (elliptical trainer)
– exercícios de propriocepção e balanço
– alongamento de panturrilha sentado
– leg press de 0º a 90º
– faixa ou corrente para extensão do joelho com resistência

FASE 3

3º a 9º mês após a cirurgia

– marcha normal
– quadríceps normal
– ausência de lesão ou restrições patelofemoral
– ausência de dor no ROM

Objetivos: tentar reestabelecer qualquer pequena restrição de movimento que ainda permaneça, evitar irritação patelar e melhorar a função patelar

Exercícios:
– faixa ou corrente para extensão do joelho com resistência
– esteira
– natação
– corrida dentro da piscina com colete ou cinto

FASE 4

9º mês após a cirurgia até retomada completa das atividades

– ausência de irritação patelofemoral ou de tecidos moles adjacentes
– 85% da força do quadríceps na perna sadia
– força e flexibilidade na musculatura e articulações, respectivamente
– ausência de dor
– exame clínico satisfatório

Exercícios:
– continuar com exercício de faixa ou corrente no joelho
– cross country ski machine
– exercícios pilométricos (saltos)
– corrida
– slide board (no pilates, por exemplo)

Protocolo de seguimento<–semanas–><–meses–>
1ª-2ª3ª-4ª5ª-6ª7ª-8ª9ª-12ª5º-6º7º-10º
Imobilizador (Brace)XXXX    
Amplitude de movimento
– 0-90 grausX
– 0-120 grausX
– 0-total grausX
Mobilização patelarXXX
Descarga de peso
– 1/4-1/2 peso corporalXXX
– 3/4-total peso corporalX
Modalidades
– Eletroneuro-estimulaçãoXXXX
– Crioterapia (edema e dor)XXXXXXXX
Alongamento
– Isquiotibiais, quadríceps, gastrocnêmios, TIT, rotadores externosXXXXXXXX
Fortalecimento
– Isométrico quadril com imobilizadorX
– Isotônico quadril com imobilizadorXX
– Quadríceps co-contraçãoXX
– Isquiotibiais co-contraçãoX
– Cadeia cinética fechada com descarga de pesoXXX
– Isométrico de Quadríceps com coxim na tíbiaXX
– Isométrico de Flexores do joelho com coxim na tíbiaXX
– Isotônico JoelhoXX
– Isotônico de TornozeloX
– Exercícios globais livresXX
Equilíbrio / Propriocepção
– Sem descarga de pesoXX
– Com descarga de pesoXXXX
– Multi-direcional / EsporteX
Condicionamento
– Bicicleta estacionáriaXXXXX
– ElípticoXXX
– NataçãoX
– CaminhadaXXXXX
– TroteX
– CorridaX
HidroterapiaXXXXX
PliometriaXXX
EsporteX

Orientações gerais: