menisco e ligamentos

Três ossos se encontram para formar sua articulação do joelho: o fêmur, a tíbia e a patela (rótula). Sua patela se localiza na frente da articulação para fornecer alguma proteção.

Os ossos são ligados a outros ossos por ligamentos. Há quatro principais ligamentos em seu joelho. Eles agem como cordas fortes para manter os ossos juntos e manter o joelho estável.

A articulação do joelho está rodeado por um fino revestimento chamado de membrana sinovial. Esta membrana que produz um fluido que lubrifica a cartilagem e reduz o atrito, o líquido sinovial, composto principalmente por ácido hialurônico.

>>> O que é Cartilagem >>>

Articulações

Duas articulações em sua cápsula articular:

  • Articulação tibiofemoral;
  • Articulação patelofemoral.

Essas estruturas irão permitir a sustentação de grandes cargas e a mobilidade necessária para a realização de atividades locomotoras. Outras estruturas importantes e que fazem parte do joelho são os meniscos, conhecidos também como cartilagens semilunares – devido ao formato em meia lua que possuem.

Articulação tibiofemoral

É uma articulação do tipo gínglimo, pois permite apenas movimentos de flexão e extensão, e alguns rotacionais e laterais.

Os côndilos laterais e medias da tíbia e do fêmur formam duas articulações chamadas de elipsoideas, onde uma extremidade côncava entra em contato com uma convexa limitando o movimento. Os côndilos da tíbia são os platôs tibiais e formam pequenas depressões chamadas de eminência intercondilar.

A tíbia gira lateralmente sobre o fêmur nos últimos graus do movimento de extensão, que é conhecido como movimento de pivô para permitir um certo bloqueio do joelho, um travamento em sua extensão completa.

As curvaturas desses platôs tibiais são assimétricas e irão apresentar diferenças de um indivíduo para o outro. Por isso algumas pessoas apresentam uma maior estabilidade no joelho e uma resistência maior à certos tipos de lesões.

Articulação patelofemoral

É uma articulação que liga a patela ao fêmur, mais especificamente, do tendão patelar ao sulco troclear entre os côndilos femorais, e para reduzir o atrito entre essas duas estruturas, a região posterior da patela é recoberta por cartilagem articular.

A patela realiza uma série de funções biomecânicas, como:

  1. Aumentar o ângulo de tração do tendão do músculo quadríceps femoral – com isso, melhora a mecânica dos músculos que formam o quadríceps femoral ao realizar a extensão do joelho;
  2. Centralizar a tensão divergente dos músculos extensores de joelho – tensão que é transmitida ao tendão patelar;
  3. Aumentar a área de contato entre o tendão patelar e o fêmur – diminui o estresse por contato da articulação patelofemoral;
  4. Proteger a face anterior do joelho e o tendão do quadríceps femoral contra os ossos adjacentes.

Ligamentos do joelho

Ligamentos colaterais

Estes são encontrados nas laterais do seu joelho. O ligamento colateral medial está na parte interna e o ligamento colateral lateral fica na face externa. Eles controlam o movimento lateral de seu joelho aumentando a estabilidade da articulação.

Ligamentos lesionados são considerados “entorses” e são classificados em uma escala de gravidade:

  • Entorses Grau 1: O ligamento é ligeiramente danificado em uma entorse de grau 1. A lesão é parcial e o ligamento é capaz de manter a estabilidade da articulação do joelho.
  • Entorses Grau 2: A entorse Grau 2 estende-se do ligamento para o ponto onde fica solto. Isso é muitas vezes referido como um rasgo parcial do ligamento.
  • Entorses Grau 3: Este tipo de entorse é mais conhecido como ruptura completa do ligamento. O ligamento foi dividido em duas partes, e a articulação do joelho pode ficar instável.

Ligamentos cruzados

Estes são encontrados dentro de sua articulação do joelho. Eles se cruzam para formar um “X”, com o ligamento cruzado anterior na frente e o ligamento cruzado posterior logo atrás. Os ligamentos cruzados controlam o movimento de rotação de seu joelho.

O ligamento cruzado anterior se projeta diagonalmente no meio do joelho. Ele impede a tíbia de deslizar para fora na frente do fêmur, bem como proporciona uma estabilidade rotacional para o joelho.

Meniscos do joelho

anatomia do joelho - meniscos

Duas peças em forma de cunha de cartilagem agem como “amortecedores” entre o fêmur e a tíbia. Estes são chamados de menisco. Eles são resistentes e flexíveis para ajudar a amortecer a articulação e mantê-la estável.

Músculos do joelho

O joelho possui uma série de músculos que são biarticulares.

Flexores

  • Flexores primários: isquitibiais, semitendinoso, semimebranoso e bíceps femoral;
  • Flexores acessórios: Grácil, sartório, gastrocnêmio e poplíteo.

Durante a flexão irá ocorrer a proximidade das faces posteriores da perna e da coxa – que são subdivididas em ativas e passivas. No movimento de flexão ativa, durante a contração dos músculos flexores irá formar uma na parte de trás da coxa limitando a flexão. A movimentação passiva, em contrapartida, é mais ampla, permitindo durante o movimento a nádega tocar o calcanhar.

Extensores

  • Quadríceps femoral: vasto medial, vasto lateral, vasto intermédio e reto femoral.

A extensão permite o afastamento da face posterior da perna e da face posterior da coxa.

Rotação

  • Rotação medial: semitendinoso, semimembranoso, poplíteo, grácil e sartório;
  • Rotação lateral: bíceps femoral.

O movimento de rotação da tíbia sobre o fêmur só é possível com a flexão de joelho e sem carga, pois somente assim irá haver um relaxamento dos ligamentos cruzados e colaterais. O músculo poplíteo é conhecido como liberador da trava do joelho, pois possui uma ação de rodar lateralmente o fêmur em relação à tíbia.

>>> As Causas comuns de dor no joelho >>>

Muito bom! Você leu todo o conteúdo. Gostou? Divulgue para seus amigos(as) e deixe um comentário ou dúvida aqui 

HORÁRIOS DE ATENDIMENTO

Segunda à Sexta em horário comercial

Veja a agenda clicando aqui