Bursite no ombro

bursite no ombro

A bursite no ombro resulta de uma inflamação das bolsas sinoviais (ou bursas) que existem ao redor desta articulação e dos tendões do manguito rotador.

É uma das causas mais frequentes de dor nesta articulação. Pode ser bilateral.

Pode cursar de uma forma aguda ou evoluir para uma bursite crônica no ombro.

Bursite subacromial

São várias as bursites que podem ocorrer no ombro consoante é afetada uma ou outra bolsa sinovial.

As mais frequentes são aquelas que atingem a bursa subacromial subdeltóideia formando o que vulgarmente se denomina como bursite subacromial.

Sintomas

A bursite do ombro apresenta um quadro clínico semelhante ao da tendinite no ombro.

>>> Conheça sobre Tendinite no ombro >>>

>>> Conheça sobre a Artrose Acrômio-Clavicular >>>

Os sintomas mais característicos são a presença de dor de tipo inflamatório, localizada na face ântero-lateral do ombro, eventualmente irradiando para o braço e cotovelo. O seu agravamento é especialmente sentido com a realização de esforços ou durante a noite, impossibilitando o doente de dormir sobre o ombro afetado.

É também característica da bursite do ombro, a presença de crepitação que é perceptível, ao fazer a mobilização da articulação.

Causas

As causas mais frequentes de bursites no ombro são os traumatismos e esforços repetitivos, como os que ocorrem com determinadas atividades laborais (pintores, repositores de armazéns, etc) ou com a prática de certos esportes, como musculação, natação ou outros praticados com o braço acima da cabeça (“overhead sports”).

Também certas doenças reumáticas (como, por exemplo, artrite reumatóide, gota, lúpus, artrite psoriática) cursam frequentemente com bursites (nomeadamente subacromiais).

tratamento para bursite

Diagnóstico

O diagnóstico desta patologia faz-se, essencialmente, através de um exame clínico cuidadoso.

Os exames a efetuar posteriormente poderão ser uma radiografia que ajuda a excluir outras causas de dor no ombro (como artrose ou tendinite calcificante) e uma ecografia do ombro que facilmente visualiza o líquido na bursa subacromial (provocado pelo derrame inflamatório).

Tratamento

A medicação ou remédio mais usualmente usados para o tratamento da bursite no ombro são os anti-inflamatórios. A sua aplicação pode ser tópica sob a forma de cremes (ou géis), ou emplastros.

O doente pode também tomar estes medicamentos sob a forma oral (em cápsulas ou diluídos), com o cuidado de o fazer após as refeições ou precedido da toma de protetores gástricos, de forma a evitar a agressão das mucosas gástrica ou duodenal.

A fisioterapia é essencial para manter a função articular e ajudar a controlar a dor. Um tratamento fisioterapêutico bem orientado, com exercícios adequados, pode prevenir a instalação de um quadro de rigidez marcada no ombro, habitualmente chamado de capsulite adesiva ou retrátil (ombro congelado). Este obrigaria a prolongar o tratamento para a sua completa resolução.

>>> Protocolo de Reabilitação do ombro >>>

Em casos de dor muito aguda e incapacitante, ou renitente a qualquer outro tratamento não invasivo, a infiltração ou injeção local de corticosteróides diluídos em anestésico local, poderá ser uma arma terapêutica a utilizar pelo seu médico para debelar o quadro.

Cirurgia

A artroscopia do ombro (cirurgia) reserva-se para os casos resistentes ao tratamento médico ou que apresentam simultaneamente outras patologias, como rotura do manguito rotador ou artrose.

Esta operação realiza-se com recurso a técnicas mini-invasivas que permitem uma excelente visualização articular, realizando uma agressão cirúrgica mínima e proporcionando assim um pós operatório bem tolerado e uma reabilitação mais fácil e rápida.

Síndrome do Impacto

síndrome do impacto no ombro

A síndrome do impacto (SI) no ombro ocorre quando o espaço normalmente estreito entre o acrômio e o manguito rotador (conjunto dos quatro tendões do ombro) com a bursa subacromial – membrana que age como amortecedor e lubrificante para diminuir o atrito entre o tendão e o osso – fica ainda menor e causa irritação e inflamação nestas estruturas. Em outras palavras, a síndrome do impacto consiste na compressão do tendão do músculo durante os movimentos de elevação ou abdução.

Diversas doenças podem causar bursite e tendinite, no entanto, a síndrome do impacto é a mais frequente. Assim como essas inflamações, a síndrome do impacto do ombro é acompanhada de dores (principalmente noturnas, quando o paciente dorme sobre o braço) e diminuição na amplitude dos movimentos.

Causas

A síndrome do impacto também está associada às atividades em que o ombro trabalha acima do nível da linha do ombro. Principalmente em situações de movimentos repetidos ou com esforço, pois nesta posição o espaço subacromial fica ainda mais comprimido.

Diagnóstico

Para fazer o diagnóstico da síndrome do impacto o ortopedista solicita alguns exames como ressonância magnética e ultrassonografia e realiza a avaliação física, analisando aspectos como força e movimentação do ombro do paciente. A síndrome do impacto ocorre em adultos.

Tratamento

O tratamento pode variar de acordo com cada caso, geralmente respondendo bem com medicação e reabilitação se aplicados corretamente. Fisioterapia para fortalecer o ombro e melhorar a postura são iniciativas simples, mas capazes de evitar a doença. Já nos casos refratários e crônicos (normalmente 3 a 6 meses) a cirurgia pode ser necessária, sendo feito através de artroscopia, para realizar a acromioplastia (ressecar a ponta do acrômio, fazendo uma descompressão).

>>> Operação por Videoartroscopia >>>

Muito bom! Você leu todo o conteúdo. Gostou? Divulgue para seus amigos(as) e deixe um comentário ou dúvida aqui 

HORÁRIOS DE ATENDIMENTO

Segunda à Sexta em horário comercial

Veja a agenda clicando aqui