A maioria das lombalgias irá melhorar com o seguinte tratamento:

– Para o primeiro dia ou dois, repouso numa posição confortável (de costas com uma almofada debaixo dos joelhos ou de lado em S com uma almofada entre as pernas). Não fique em cada posição por muito tempo. A cada 2 a 3 horas, dê um passeio curto (cerca de 10 a 20 minutos) e depois descanse numa posição confortável de novo.

– Se necessário dirija-se ao seu médico para verificar a necessidade de tomar algum anti-inflamatório. Estes medicamentos geralmente funcionam melhor numa programação regular em vez de esperar até que a dor se agrave.

– Experimente usar uma compressa quente na zona ou uma ducha quente por 15 a 20 minutos a cada 2 ou 3 horas. Também pode tentar uma bolsa de gelo por 10 a 15 minutos a cada 2 a 3 horas. Não é certo se o calor ou o gelo irão ajudar, mas pode experimentá-los.

– Logo que possível, volte às suas atividades normais. Ficar na cama por mais de 1 ou 2 dias pode enfraquecer os seus músculos e piorar o problema.

dorsalgia

Dorsalgia e Lombociatalgia

Dorsalgia é o mesmo que dor nas costas. Ou seja, é a dor sentida nas costas que pode ser proveniente dos músculos, ossos, nervos, articulações ou outras estruturas da coluna vertebral. Esta dor pode ser tanto constante como intermitente, bem como permanecer num lugar ou deslocar-se ou espalhar-se para/por outras regiões.

A dor lombar (lombalgia) afeta a parte inferior das costas em qualquer lugar abaixo das costelas. A região lombar é uma zona da coluna vertebral (33 vértebras) constituída por cinco vértebras mais o sacro. Estabelece a conexão entre a parte superior e inferior do corpo, e suporta a maior parte do nosso peso. Devido a estas funções, é facilmente sujeito a lesão quando sujeito a movimentos mais bruscos, tais como: levantar, torção.

A dor popularmente conhecida como “dor no ciático” é decorrente de uma compressão nervosa na região lombar (L3, L4, L5 e S1).

O que caracteriza a lombociatalgia é a irradiação da dor para as nádegas e face posterior da coxa, podendo alcançar até o pé. A intensidade da dor varia desde um pequeno desconforto até uma dor intensa, sendo que a movimentação da coluna exacerba o quadro doloroso. Na maior parte dos casos observa-se transtorno funcional, impossibilitando que o paciente realize suas atividades rotineiras, como trabalhar, recostar ou deitar. Em algumas situações, pode haver total bloqueio funcional, com o paciente permanecendo rigidamente em uma única posição.
lombalgia

Diagnóstico

Existem alguns fatores de risco para a ocorrência de dores lombares. Podemos citar fatores constitucionais, como aumento de peso, fraqueza dos músculos paravertebrais e abdominais e frouxidão ligamentar. Outros fatores são os ocupacionais, gerados por sobrecarga na região lombar ao erguer pesos excessivos ou permanecer muito tempo numa mesma posição. Os hábitos de vida diários, como fumo, alcoolismo e sedentarismo, também são fatores de risco.

O envelhecimento desempenha um papel também. Os ossos e músculos tendem a perder força à medida que envelhecemos, o que aumenta o risco de lesões.

Lesões por esforço (mecânicos e “mau jeito”) são de longe a causa mais comum de lombalgia, e a dor provocada por tais traumas geralmente retrocede em duas ou seis semanas. No entanto, quando a lombalgia dura mais do que três meses, ou se ela se manifesta mais nas pernas do que nas costas, um diagnóstico mais específico deverá ser feito. Existem várias causas comuns de lombalgia e dores nas pernas: para adultos abaixo de 50 anos, estas incluem hérnia de disco e moléstia degenerativa de disco; em adultos com mais de 50 anos, causas comuns também incluem osteoartrite e estenose espinhal. Todavia, alguns pesquisadores acreditam que 90% destas dores nas costas decorrem de uma síndrome de tensão nervosa, e que são causadas por estresse emocional.

>>> Como aparece a Hérnia de Disco >>>

>>> O que é Cervicobraquialgia >>>

>>> O que é Fibromialgia >>>

>>> O que é Escoliose >>>

Prognóstico

Estima-se que entre 65% e 80% da população mundial desenvolvam a dorsalgia em alguma fase das suas vidas. Porém, a dorsalgia não costuma ser incapacitante, e mais da metade dos que padecem dela costumam recuperar-se em até uma semana.

A lombalgia pode ser aguda, com duração até três meses, onde cerca de 90% dos doentes recuperam-se espontaneamente. Entretanto, mais da metade dos doentes podem ter recorrência e mais de um terço pode apresentar cronificação da dor. Entre os fatores que podem contribuir para a cronicidade estão: falta de correção dos fatores desencadeantes, fatores posturais, fatores psicossociais, benefícios ou perdas secundárias, imobilismo, doenças associadas (alterações psiquiátricas, uso de drogas, depressão, ansiedade), fatores mecânicos e degenerativos e lesões do sistema nervoso periférico ou central.

lombociatalgia

Tratamentos

Existe uma grande variedade de tratamentos para dores nas costas, que incluem aplicações de bolsas térmicas geladas ou de água quente nas regiões doloridas, medicações, injeções, exercícios físicos, etc. Somente uma minoria (estimados entre 1% e 10% dos casos) necessita de cirurgia.

>>> Infiltrações e bloqueios na coluna >>>

Para o tratamento ter um bom resultado, é importante que o diagnóstico preciso seja feito. A partir disto, o primeiro passo é o controle da dor, que pode ser feito inicialmente através de medicações anti-inflamatórias, miorrelaxantes e analgésicas. O repouso pode durar de dois a, no máximo, sete dias. O repouso prolongado leva a atrofia muscular, dificultando a reabilitação e aumentando a incapacidade do indivíduo. Nos casos de dores crônicas, pode-se usar também medicações psicotrópicas e antidepressivos, por suas propriedades analgésicas e miorrelaxantes, reguladoras do sono e do humor. Analgésicos opióides fracos ou potentes podem ser necessários.

Tratamentos invasivos são exceção, mas existem, desde os minimamente invasivos, como bloqueios por infiltração, as cirurgias abertas, de acordo com a gravidade do caso, saiba mais aqui >

Recomendações

Boa parte dos problemas de dor nas costas pode ser resolvida por atitudes simples, como dormir em colchão duro ou sentar-se, preferencialmente em cadeiras de encosto reto. Pesos só devem ser erguidos a partir de uma postura agachada, mantendo-se as costas retas. Da mesma forma, pessoas que passam longo tempo sentadas (como motoristas e trabalhadores administrativos) devem mudar de posição ou erguer-se de vez em quando para descontrair e exercitar os músculos, pois nessa posição que a região lombar sofre com mais carga. Além disso, caminhar com as costas retas e mantendo o peito ligeiramente elevado, contribui para uma melhoria da postura física e da própria aparência pessoal.

Fazer atividades físicas regulares é importante, para manter o vigor físico, força e alongamento muscular e reduzir o peso corporal.

Caminhar é talvez o mais simples e o melhor exercício para a região lombar. Comece com caminhadas fáceis de 5 a 10 minutos por dia e gradualmente aumente o seu tempo. Caminhar na água até a cintura ou o peito é também um bom exercício.

>>> Exercícios para a coluna >>>

Um médico ou um fisioterapeuta pode recomendar exercícios mais específicos para o ajudar a fortalecer os músculos das costas e abdominais.

Como pode prevenir para não voltar a ter as dores lombares?

Após ter dor lombar pela primeira vez, é provável voltar a ter. Para ajudar a manter a sua lombar saudável e evitar mais dor:

– Tenha uma boa postura quando estiver sentado, em pé e a caminhar.

– Faça exercício regular e de baixo impacto. Caminhar, nadar ou andar de bicicleta estacionária. Alongue antes e depois de fazer exercício.

– Calce uns sapatos de saltos baixos com um bom suporte.

– Vigie o seu peso. Estando pesado, especialmente em torno de sua cintura, coloca stress extra na sua lombar.

– Não tente levantar coisas que são demasiado pesadas. Quando o tiver de fazer, dobre os joelhos e mantenha as costas direitas, mantenha o objecto que vai levantar junto ao seu umbigo, e evite levantar e torcer ao mesmo.

>>> Dor nas costas durante a gravidez >>>

Se estiver sentado ou de pé por longos períodos de tempo no trabalho:

– Preste atenção à sua postura. Sente-se ou esteja em pé direito, com os ombros para trás.

– Certifique-se de sua cadeira tem um bom suporte nas costas.

– Faça pausas regulares para passear.

Muito bom! Você leu todo o conteúdo. Gostou? Divulgue para seus amigos(as) e deixe um comentário ou dúvida aqui 

HORÁRIOS DE ATENDIMENTO

Segunda à Sexta em horário comercial

Veja a agenda clicando aqui