Entorse de tornozelo

entorse de tornozelo

Entorse de tornozelo é uma lesão ligamentar que ocorre, habitualmente, após uma torção no tornozelo. Os ligamentos do tornozelo são estruturas elásticas que permitem manter a articulação na sua posição correta. Os ligamentos, que constituem os estabilizadores laterais do tornozelo, são os principais responsáveis pela estabilidade da articulação, nomeadamente, em movimentos nos extremos das amplitudes articulares. Em condições normais, os ligamentos, como estruturas elásticas que são, esticam até ao seu limite, regressando, de seguida, à sua posição inicial. Todos os ligamentos possuem uma amplitude específica de movimento e limites que lhes permitem manter as articulações estabilizadas.

Tipos de Entorse

Existem essencialmente dois tipos de entorse do tornozelo. Os entorses mais frequentes são os que ocorrem com inversão do pé, que se define por forçar a articulação para o lado de dentro (“o pé está preso ao solo pela carga e o corpo roda para fora”). Por sua vez, em casos mais raros podem ocorrer entorses em eversão do pé (mecanismo contrário ao de inversão).

A lesão ligamentar externa (do ligamento lateral externo ou ligamento da “parte de fora”) é a mais frequente e a maioria das vezes ocorre de forma incompleta, ocorrendo majoritariamente no entorse por inversão.

Graus de entorses do tornozelo

Entorse de Grau 1 (Leve)

Estiramento leve e roturas microscópicas das fibras dos ligamentos;
Alguma sensibilidade e edema (inchaço) ao redor do tornozelo.

Entorse de Grau 2 (Moderada)

Ruptura parcial do ligamento;
Sensibilidade moderada e edema ao redor do tornozelo;
Se o médico mover o tornozelo em determinadas posições, há um movimento anormal da articulação do tornozelo.

Entorse de Grau 3 (Grave)

Ruptura completa (ou total) do ligamento;
Sensibilidade e edema significativos ao redor do tornozelo (dores muito fortes e tornozelo muito inchado) que surge de imediato;
Se o médico puxar ou empurrar a articulação do tornozelo em certos movimentos, ocorre desequilíbrio substancial.

Lesão dos ligamentos do tornozelo

Um outro problema comum é a perda do tato profundo, com comprometimento da coordenação motora, também chamada propriocepção. Em outras palavras, existe dificuldade dos receptores tendíneos e capsulares informarem o centro de coordenação motora do sistema nervoso central.

Sinais e sintomas

Os sintomas de uma torção do tornozelo podem incluir:

  • Dor no tornozelo e dificuldade para caminhar ou, até mesmo, colocar o pé no chão;
  • Inchaço da parte lateral do pé;
  • A área pode ficar inchada e arroxeada, sendo comum que o roxidão surja apenas 48 horas depois da torção;
  • Sensibilidade ao tocar na região lateral do tornozelo e do pé;
  • Pode haver pequena elevação da temperatura no local afetado.

Normalmente a própria pessoa consegue saber que torceu o pé enquanto estava andando ou correndo, mas o médico pode solicitar um raio-x do pé, se houver suspeita de que existe uma fratura ou um exame de ressonância magnética para avaliar se houve rompimento dos ligamentos, se houver persistência dos sintomas por mais de 3 meses.

>>> Saiba sobre Fratura do tornozelo >>>

Ligamentos Acometidos

As lesões do complexo ligamentar lateral são, de longe, as mais comuns do tornozelo. A lesão ligamentar lateral ocorre, tipicamente, durante a flexão plantar e inversão, que é a
posição de máximo estresse no ligamento talofibular anterior (LTFA). Por essa razão, o LTFA é mais comumente lesado durante o traumatismo e inversão.
Em lesões por inversão de maior gravidade os ligamentos calcaneofibular (LCF), o talofibular posterior (LTFP) e o subtalar também podem ser lesados.

A maioria das lesões ligamentares laterais do tornozelo resolve-se espontaneamente com tratamento conservador.

>>> Exercícios para Fortalecimento do tornozelo >>>

Tratamentos

Inicialmente colocar uma compressa de gelo no tornozelo enquanto descansa sentado ou deitado, mas com os pés elevados é uma boa forma de combater a dor e aliviar o inchaço. Nas lesões mais leves isso é suficiente para controlar os sintomas em 3 a 5 dias.

Lesão de primeiro grau

Uma tala gessada pode ser utilizada para imobilizar o pé e o tornozelo, por 1 ou 2 semanas.
A imobilização elástica pode funcionar bem.
O uso de anti-inflamatórios, gelo e elevação podem aliviar os sintomas.
A fisioterapia é indicada após 2 ou 3 semanas da lesão acontecer.

Lesão de segundo grau

O tratamento é parecido com o do primeiro grau, a grande diferença é que o tempo de imobilização é maior, podendo ser de até 3 semanas.
O tempo de recuperação, cicatrização e reabilitação é maior.
Fazer fisioterapia é importante para que o resultado do tratamento seja melhor.

Lesão de terceiro grau

O tempo de imobilização pode ser de até 4 semanas.
O tempo de recuperação, cicatrização e reabilitação é bem maior comparado aos outros casos.
Há a possibilidade de ocorrer lesões com sintomas tardios.
A cirurgia pode ocorrer em atletas ou em lesões com grande instabilidade.

Instabilidade do tornozelo crônica

Problemas persistentes após lesões ligamentares do tornozelo não são incomuns. Após tanto o tratamento conservador como o cirúrgico, 10% a 30% dos pacientes com lesão ligamentar lateral podem apresentar sintomas crônicos.

Os sintomas geralmente incluem sinovite ou tendinite persistente, rigidez do tornozelo, edema, dor, fraqueza muscular e falseios freqüentes.

>>> Avaliação pela Análise dinâmica da marcha e pisada >>> 

Um programa de fisioterapia com fortalecimento e treinamento proprioceptivo dos fibulares deve ser instituído inicialmente. Órteses ou enfaixamento devem ser utilizados como tratamento adjuvante para auxiliar no alívio de problemas de instabilidade. O mecanismo exato do efeito das órteses não é bem compreendido, mas muito pacientes experimentam algum benefício.

artroscopia de tornozelo

Entorse do tornozelo – cirurgia

A indicação para cirurgia (ou operação) no tratamento da entorse do tornozelo é pouco frequente. A cirurgia é reservada para lesões que não respondem ao tratamento médico e para os pacientes que sofrem instabilidade persistente no tornozelo após meses de reabilitação.

Na atualidade, as cirurgias são minimamente invasivas e realizadas por técnicas artroscópicas. Com a utilização de instrumentos cirúrgicos adequados pode proceder à remoção de fragmentos soltos de osso, cartilagem, ou partes do ligamento que podem ser apanhados na articulação. Após é realizado a reconstrução dos ligamentos através de pontos ou suturas. Em alguns casos, o médico poderá reconstruir o ligamento lesionado, substituindo-o por um enxerto de tecido obtido de outros ligamentos e/ou tendões encontrados no pé e ao redor do tornozelo.

>>> O que é a Lesão da sindesmose >>>

Pós-operatório

Normalmente, há um período de imobilização após a cirurgia. O seu médico pode aplicar gesso ou uma órtese (bota protetora) para preservar o ligamento reparado ou reconstruído.

O tempo de recuperação após a cirurgia depende da extensão da lesão e da intervenção realizada. A reabilitação tem como objetivo restaurar a força e a amplitude de movimento de forma a permitir ao doente voltar à função pré-lesão, podendo demorar semanas a meses.

Muito bom! Você leu todo o conteúdo. Gostou? Divulgue para seus amigos(as) e deixe um comentário ou dúvida aqui 
Clínica Salus Trata

Agende uma consulta!

Descubra nossos protocolos de tratamento eficazes e sem cirurgia, baseados em exame clínico detalhado, análise computadorizada da marcha e corrida e mais de 60 trabalhos científicos.

HORÁRIOS DE ATENDIMENTO

Segunda à Sexta em horário comercial

Veja a agenda clicando aqui