Lesões do Tendão Quadricipital

ruptura do tendão quadríceps

São lesões pouco freqüentes e geralmente acometem paciente acima dos 40 anos de idade. Existe uma associação direta com doenças sistêmicas (geralmente bilaterais) e com alterações tendinosas degenerativas. Ocorre com mais freqüência de forma unilateral. São mais freqüentes que as rupturas do tendão patelar. Em 25% dos casos o quadríceps está envolvido com tendinite. Para que tenhamos um resultado satisfatório é imprescindível um diagnóstico precoce. Quando a intervenção é retardada, o reparo tendinoso torna-se mais complicado.

É uma lesão muito incapacitante, não permitindo que o paciente deambule e ou estenda o joelho de forma ativa. Alguns casos em que os retináculos permanecem íntegros o paciente consegue manter-se em extensão contra gravidade, mas dificilmente estende de forma ativa.

Frequência

Se considerarmos todas as lesões no joelho, as rupturas quadricipitais são lesões raras. São mais freqüentes quando comparadas as lesões do tendão patelar. São frequentemente não diagnosticadas nos primeiros atendimentos sendo confundidos com lesões musculares de menor intensidade. Deve ser diferenciada dessas, pois as formas de tratamento são bem distintas.

Quando acometem pessoas jovens (atletas) essa lesões são frequentemente parciais e podem ser tratadas de forma não cirúrgica.

Etiologia

Ocorre durante uma contração muscular excêntrica com o pé apoiado no solo e o joelho semi flexionado. Ocorre geralmente associada a quedas por desequilíbrio.

>>> O que é a Tendinite quadricipital >>>

Algumas patologias sistêmicas podem estar associadas: hiperparatireoidismo, insuficiência renal, gota, obesidade, diabetes, artrite reumatóide etc.

lesão do tendão do quadríceps

Diagnóstico da Lesão do Quadríceps

Diagnóstico clínico: geralmente existe após a lesão um defeito muscular palpável . A extensão  do joelho torna-se dificultado ou impedida. Equimose (coloração roxa no local) e edema (inchaço) são sinais clínicos sugestivos. A patela torna-se mais móvel e em algumas ocasiões apresenta-se mais baixa.

Diagnóstico radiológico: radiografias em perfil demonstram a patela baixa. Exames mais fidedignos são a ressonância magnética e ultrassonografia.

Sintomas

O principal sintoma da lesão é a súbita dor no joelho que vem acompanhada com a limitação dos movimentos e inchaço. De modo geral, é verificada a dificuldade que o paciente tem ao tentar estender o joelho. Nesse quadro, a pessoa sente enormes impedimentos em tarefas recorrentes do dia a dia como caminhar, ficar de pé e subir um lance de escadas.

Tratamentos

O tratamento cirúrgico é realizado de forma simplificada, por meio de uma incisão no joelho afetado, para que em seguida seja feito o reparo do tendão rompido. Em alguns casos que as condições do tendão estão muito deterioradas, o enxerto é uma alternativa viável, já que serve para reforçar a sutura do tendão. As lesões podem ocorrer no corpo do tendão ou na junção tendão osso. A técnica cirúrgica difere pois nos casos de desinserção há a necessidade de reinserção óssea. Essa pode ser realizada através de fios transósseos, bem como com o uso de âncoras.

A reabilitação completa do paciente é prevista para até seis semanas após a cirurgia do joelho. Nesse ínterim, o operado deve se submeter a exercícios fisioterapêuticos que vão contribuir para a normalização dos movimentos e o fim da dor no joelho.

A imobilização pós operatória faz-se com um imobilizador não articulado por um período de 6 semanas, sendo retirado nos momentos de realizar fisioterapia. O apoio do membro operado deve ser retardado 3 semanas.

Não-cirúrgico: se ocorrer uma lesão parcial no qual o paciente consiga realizar extensão do membro acometido o tratamento conservador pode ser realizado. Outra indicação de tratamento conservador são os pacientes não deambuladores e os que não apresentem condições clínicas de realizar o procedimento.

Complicações

Atrofia muscular, perda de movimento (final da extensão) são comumente observadas no pós operatório imediato. A fisioterapia é imprescindível nesses casos.

>>> Instruções para retornar às atividades físicas >>>

Muito bom! Você leu todo o conteúdo. Gostou? Divulgue para seus amigos(as) e deixe um comentário ou dúvida aqui 

HORÁRIOS DE ATENDIMENTO

Segunda à Sexta em horário comercial

Veja a agenda clicando aqui