Síndrome do trato iliotibial

A síndrome do atrito da trato iliotibial (também conhecida como “joelho do corredor”) é uma das causas mais comuns de dores no joelho e no quadril em atletas.

SÍNDROME DO TRATO ILIOTIBIAL

A dor no joelho devido a esta síndrome é normalmente sentida ao longo do exterior do joelho (lateral) e da coxa inferior. A síndrome do trato iliotibial pode também resultar numa dor aguda ou persistente do lado de fora do quadril.

O que é o trato iliotibial

A banda iliotibial é uma camada densa de tecidos conectivos que se estende desde a espinha ilíaca ântero-superior (protuberância óssea na região anterior da pelve) ao longo da lateral externa da coxa e atravessa o lado externo do joelho até ligar à parte lateral de cima do osso da perna (tíbia). Auxilia a movimentação e estabiliza a articulação do joelho e do quadril, mas a porção inferior do seu tecido conectivo, denso e fibroso passa por cima de uma saliência do fêmur (epicôndilo femoral lateral), o que pode gerar atrito e irritação.

O que provoca a síndrome do trato iliotibial

A síndrome da banda iliotibial ocorre quando existe atrito entre a parte inferior da banda que passa por cima do côndilo femoral lateral e uma saliência óssea do fêmur que está acima do joelho, causando dor ao flexionar e estender o joelho, geralmente na parte lateral.

Como o maior contato com o fêmur acontece logo após o contato dos pés com o solo (30 graus de flexão dos joelhos) e corredores de longas distâncias mantêm esse ângulo frequente, são as maiores vítimas da síndrome — ainda mais os que treinam exageradamente! Na síndrome iliotibial, você vai sentir a dor lateral na coxa aparecer só de apalpar, às vezes já no aquecimento e outras só nos últimos quilômetros, mas não vai enxergar vermelhidão ou hematomas (manchas escuras) na área dolorida.

Mais comum em corredores e ciclistas de longas distâncias, a síndrome pode também afetar atletas com os seguintes fatores predisponentes do encurtamento da banda: músculos tensos no quadril, pélvis ou perna; diferença de comprimentos entre as pernas; desalinhamento dos membros inferiores, como joelho varo, rotação interna do joelho, pé plano; e correr em superfície inclinada ou com calçado que cause desgaste na parte externa do calcanhar.

dor na lateral da coxa

Importante acrescentar que a síndrome da banda iliotibial costuma ser confundida com a tendinite patelar devido os sintomas apresentarem-se semelhantes. 

Diagnóstico

O primeiro indício da lesão é a dor que aparece durante o exercício, fazendo com que o atleta tenha que interromper os treinos. Com o passar do tempo, o incômodo pode passar para a  lateral da coxa e da perna.

A síndrome do atrito iliotibial deve ser diagnosticada juntamente com o médico, que irá examinar o joelho à procura de sensibilidade e de tensão na banda iliotibial e prescrever o melhor tratamento. Este pode passar pela aplicação de compressas de gelo e uso de medicamentos anti-inflamatórios para ajudar a diminuir a inflamação e a dor.

Enquanto o joelho recupera, a atividade anteriormente praticada sem problemas, deve ser substituída por uma que não agrave a lesão, por exemplo, andar de bicicleta ou nadar ao invés de correr, ou reduzir a intensidade da atividade e procurar terrenos planos.

Tratamento

  • Recorra a sessões de fisioterapia
  • Faça musculação para fortalecer os abdutores do quadril. Alongamentos também são muito importantes!
  • Substitua temporariamente a corrida ou ciclismo por caminhadas, bicicleta ergométrica (mas não pedale em pé!) ou natação
  • Volte às corridas de forma gradativa, com progressão de esforço adequada e sob orientação.
  • Em casos crônicos pode ser feito infiltração e até operação para liberação da banda iliotibial.

Prevenção

  • Pratique aquecimento e alongamento, instruções aqui – ênfase na porção lateral da coxa
  • Fuja dos tênis velhos, principalmente gastos demais no calcanhar
  • Reduza volume e intensidade, e evite descidas se sentir dor
  • Inverta o sentido da corrida nos percursos curtos e em terrenos inclinados para compensar os movimentos
  • Fortaleça, use gelo e massageie os músculos

Retorno às corridas

Quando conseguir, sem sentir dor:

  • Apalpar a região externa do joelho
  • Correr em linha reta, em velocidade
  • Dobrar todo o joelho, e esticá-lo
  • Correr incluindo viradas bruscas, e fazer a figura do “8” em movimento
  • Pular com ambas as pernas, sem dores

Gradualmente adicione treinos em declives na sua corrida

Corrida em colinas, especialmente em declive, aumenta a fricção sobre o trato iliotibial e é dura com os quadríceps. Na medida em que os quadris vão ficando fadigados, eles perdem a capacidade de estabilizar e controlar a posição de rastreamento do joelho, o que também aumenta o estresse sobre a articulação.

Muito bom! Você leu todo o conteúdo. Gostou? Divulgue para seus amigos(as) e deixe um comentário ou dúvida aqui 

HORÁRIOS DE ATENDIMENTO

Segunda à Sexta em horário comercial

Veja a agenda clicando aqui