Painel Fóruns Instruções pós-operatório de Reconstrução do ligamento cruzado anterior (LCA)

Este tópico contém 0 resposta, possui 1 voz e foi atualizado pela última vez por  Dr. Márcio Silveira 03/06/2018 at 17:50.

Visualizando 1 post (de 1 do total)
  • Autor
    Posts
  • #21735
    1. Programar o uso de muletas que serão levadas ao hospital e serão retiradas entre 10 e 15 dias de pós-operatório.
    2. Manter o curativo limpo e seco, protegendo-o com plástico durante o banho.
    3. O primeiro curativo só será trocado do 3º ao 5.o dia de pós-operatório.
    4. Usar a medicação prescrita, analgésica e anti-inflamatória durante 5-7 dias.
    5. Manter o joelho com extensão completa, não colocar travesseiros abaixo do joelho.
    6. Manter o joelho elevado o maior tempo possível.
    7. Andar com auxílio de muletas, dividindo o peso entre o membro operado e as muletas. Ao caminhar, procurar apoiar inicialmente o calcanhar para estimular a extensão do joelho.

    Primeiras 24 horas de pós-operatório:

    -Posicionamento no leito:
    – Membro inferior em elevação, com extensão total do joelho, se possível com bolsa de gelo;
    – Manter o pé apontado para cima;
    – Estimular a mobilização da panturrilha;
    – Não colocar nada (travesseiros) abaixo do joelho. É importante que se consiga a extensão completa do joelho no primeiro dia de pós-operatório.

    1º dia de Pós-operatório:

    -Exercícios de contração do músculo quadríceps:
    -Mobilização do tornozelo;
    -Exercícios ativos dos pés;
    -Crioterapia (gelo) se possível 30 minutos a cada 2 horas.

    2º, 3º e 4º dia de Pós-operatório:

    -Exercícios isométricos de quadríceps o maior tempo possível:
    -Manter-se o maior tempo possível na cadeira, evitando o leito;
    -Fazer flexão do joelho, preferencialmente até 90º;
    -Manter exercícios anteriores;
    -Iniciar descarga de peso parcial sobre o membro operado, com auxílio de muletas.

    Fases de cicatrização do LCA e reabilitação

    O conceito da cicatrização do enxerto e aderência aos túneis após a reconstrução do ligamento cruzado anterior deve ser desenvolvido em paralelo à reabilitação e ao treino do paciente.

    Com relação à resistência do enxerto, verifica-se a seguinte progressão:

    • 53% até o 3º mês
    • 45% do 3º ao 6º mês
    • 81% do 6º ao 9º mês
    • 90% no 12º mês

    Note que do 3º ao 6º mês, em tese, seria a época de menor resistência do enxerto e coincide com a fase de 100% de independência para atividades da vida diária, como subir e descer escadas, dirigir e trotar. Mesmo após uma reabilitação muito bem feita, o retorno ao esporte ainda é contra-indicado, pois uma entorse aparentemente inócua pode afrouxar o enxerto e comprometer o resultado da cirurgia.

    Ligamentização

    O objetivo da reabilitação é a manutenção da amplitude de movimento, retorno da força muscular, treino de equilíbrio (proprioceção) e tratamento dos déficits e desequilíbrios musculares.

    Fases de reabilitação do ligamento cruzado anterior

    Fase I (1º sem):
    Objetivo – controle da dor e edema;
    Repouso relativo;
    Exercícios isométricos para quadríceps;
    Marcha com muletas e carga parcial;
    Especial atenção deve ser dada para que se consiga a extensão completa do joelho.

    Fase II (2º a 4º semana):
    Objetivo – ganhar arco de movimento (mínimo de 0º a 90º);
    2º semana: exercícios isométricos, flexão ativa (em prono ou sentado) e mobilização da patela;
    Ganho progressivo de ADM, até flexão simétrica em relação ao lado contralateral;
    Retirada das muletas;
    3º semana: inicia bicicleta estacionária sem carga;
    4º semana: acrescenta ½ kg de carga nos exercícios isométricos.

    Fase III (2º mês):
    Objetivo – iniciar ganho muscular e controle motor;
    Alongamento de isquiotibiais, muito cuidadoso se o enxerto utilizado foi o semitendíneo;
    Treinamento de marcha, iniciar o apoio com o calcanhar, forçando a extensão, sem claudicar (mancar);
    Carga progressiva nos exercícios isométricos.

    Fase IV (3º e 4º meses):
    Objetivo – incentivar ganho muscular e propriocepção;
    Inicio das atividades em academia de ginástica (poderá se iniciado antes, desde que autorizado pelo cirurgião);
    Exercícios de cadeia cinética fechada – bicicleta, “leg press”, mesa flexora, “stepper”; Exercícios proprioceptivos;
    Manter os exercícios isométricos;
    Inicia corrida progressiva (esteira).

    Fase V (após 4 meses):
    Treinamento dos exercícios de impacto;
    Inicia corrida progressiva (pista);
    Alongamentos gerais.

    Fase VI (após 5 meses):
    Treinamento esportivo e programa de manutenção;
    (exercícios aeróbicos e localizados);
    Incentivado o treinamento esportivo específico do paciente, sem competição.

    Fase VII (após 6 meses):
    Retorno ao esporte competitivo.

Visualizando 1 post (de 1 do total)

Você deve fazer login para responder a este tópico.