A síndrome femoro-patelar

Tema: joelho

A patela, popularmente conhecida como rótula, é um pequeno osso, de formato triangular, localizado em meio a um conjunto de ligamentos na parte anterior à articulação do joelho, protegendo-a e melhorando o seu movimento.

Entretanto, o esforço repetitivo das articulações, traumas ou a sobrecarga do mecanismo extensor pode ocasionar uma condição que recebe o nome de Síndrome Femoro-patelar. O principal sintoma é a dor na região frontal do joelho associada a dificuldade de executa movimentos específicos, como ajoelhar, subir e descer escadas, pular, permanecer sentado por longos períodos, entre outros que exijam flexionar a estrutura.

Esta condição envolve principalmente a patela e o fêmur e, embora muito comum, é difícil de tratar pois são várias as estruturas envolvidas portanto as causas também podem ser variadas.

Também conhecido como Síndrome da Dor Anterior do Joelho, é mais frequente entre mulheres e muitas vezes não tem uma causa exata.

O diagnóstico é feito pelo ortopedista especialista em joelho com o auxílio de vários fatores, como o histórico médico familiar e pessoal do paciente; bem como nos sintomas relatados e por fim com o auxílio de exames físicos aplicados pelo ortopedista, que aperta o joelho no intuito de procurar a localização exata das pontadas e do inchaço.

Vale salientar que a maioria dos diagnósticos são feitos de maneira tardia, pois os sintomas evoluem muito lentamente (dessa forma são pouco perceptíveis no início) e acabam atingindo um ápice, até por isso a necessidade de um médico especialista em joelho. Como a doença pode ser confundida com uma tendinite ou com a condromalácia patelar, é necessário realizar uma bateria de exames, como ressonâncias magnéticas e radiografias, para descartar doenças como osteoartrose e fraturas ocultas.

O tratamento conservador ou convencional – usado para a maioria dos casos (cirurgia é muito rara) – é composto de várias indicações feitas pelo médico, como medicamentos analgésicos para o alívio da dor e anti-inflamatórios; bem como sessões de eletrochoque para trabalhar a musculatura.

A fisioterapia é indispensável em todos os tipos e momentos de tratamento, além de visar também o aprimoramento da mobilidade e da força muscular. No mais, é importante realizar sessões de descanso, mudança nas atividades esportivas e até mesmo enfaixar o joelho ou trocar calçados por outros que sejam ortopédicos e uso de órteses.

 

0


Deixe uma resposta

Este artigo não foi revisado desde a publicação.

Este post foi criado por Dr. Márcio Silveira Ligar 27/02/2021.

Pacientes do Dr. Márcio Silveira, Ortopedista em Brasília / DF