Dor nos joelhos: como cuidar

A dor no joelho atinge todas as faixas etárias e é um assunto muito amplo, pois envolve diversas causas e diferentes patologias. O joelho é a articulação mais instável do membro inferior, por isso lesiona facilmente. A estabilidade depende do bom funcionamento de várias estruturas, como meniscos, ligamentos e principalmente dos músculos. Além disso, o alinhamento do joelho tem grande influência nessa estabilidade e na vulnerabilidade para lesões.

dor no joelho

Causas

Sedentarismo

Além de estimular o aumento de peso, que sobrecarrega o joelho, o sedentarismo enfraquece a musculatura e instabiliza a articulação. Uma musculatura forte e flexível protege a articulação e ajuda a mantê-la no posicionamento correto, absorvendo as sobrecargas.

Excesso de carga

Treinos e atividades esportivas de alto impacto e intensidade aumentam o risco de lesão e desgaste antecipado das cartilagens articulares. Os treinos devem ser progressivos, com aumento gradual de carga e intensidade, para que as estruturas do joelho se preparem aos poucos e os músculos hipertrofiem para suportem o estresse. Importante lembrar dos períodos de recuperação: atletas que precisam treinar muito e não respeitam essa fase sofrem com o desgaste precoce das articulações.

Traumas prévios

Fraturas, lesões ligamentares e meniscais sem tratamento adequado enfraquecem a musculatura, deixam os joelhos mais suscetíveis a novas lesões e podem acelerar o processo de desgaste.

Principais patologias que afetam o joelho

Existem diversos motivos que podem levar a dor na região do joelho. Eles, normalmente, variam de acordo com a faixa etária das pessoas. Dependendo da região de dor, diferentes estruturas podem estar danificadas. Veja abaixo as lesões mais comuns do joelho:

Síndrome da dor patelofemoral

É o desgaste da cartilagem da patela. Essa síndrome gera dor na parte da frente do joelho, entre a patela e o fêmur, e piora com a prática de exercício físico. Ela afeta principalmente adolescentes e jovens adultos do sexo feminino. Além disso, a doença é multifatorial; ou seja, existem várias causas para seu desenvolvimento. Dentre elas, as que mais afetam o joelho são: desalinhamento durante o movimento, desalinhamento ósseo, pronação excessiva dos pés e a sobrecarga articular.

Apofisite tibial (lesão de Osgood-Schlatter)

É a inflamação da região anterior da tíbia (lugar em que o tendão patelar está inserido).
Atinge crianças entre os 12 e 15 anos, devido ao estirão de crescimento. Nessa fase, o tendão inflama porque a tensão no tecido aumenta por conta do rápido crescimento ósseo, o que gera dor e inchaço.

Tendinite patelar (Joelho do Saltador)

A inflamação do tendão patelar é bem comum em quem pratica esporte que envolva saltos e pousos repetidos, aceleração e desaceleração rápidas e chutes, tais como: basquete, vôlei, futebol, tênis, salto em altura e esgrima. Esses esportes demandam movimentos bruscos, que geram muita tração sobre o tendão e impulsionam a inflamação. Os sintomas mais comuns são: dor no corpo do tendão, aumento de espessura, inchaço e dores que melhoram com a diminuição da atividade.

Lesão do menisco

No joelho existem dois meniscos (lateral e medial) – estrutura cartilaginosa posicionada entre o fêmur e a tíbia. Essas estruturas são responsáveis por melhorar o encaixe entre os dois ossos. A lesão do menisco acontece, geralmente, quando o pé está firme no chão e alguma força intensa provoca a rotação do joelho. As dores aparecem na parte da frente da articulação e na lateral do menisco lesado, normalmente com inchaço e dificuldade de flexionar o joelho.

Ruptura ligamentar

Os ligamentos são tecidos fibrosos que ajudam a estabilizar a articulação do joelho. Nela, existem quatro ligamentos: o cruzado anterior (LCA), o cruzado posterior (LCP), o colateral medial (LCM) e o colateral lateral (LCL). Quando algum desses ligamentos rompe, além da dor e edema, pode-se sentir instabilidade articular.

Osteoartrite

A osteoartrite, também conhecida como artrose ou osteoartrose, é uma doença degenerativa e progressiva que atinge as articulações. Ela é provocada pelo aumento de atrito na articulação, que leva à destruição da cartilagem e, em fases mais avançadas, à deformidade óssea. A dor é o principal sintoma e geralmente vem acompanhada da redução da mobilidade articular e perda de força.

Bursite

As bursas são pequenas bolsas cheias de líquido que reduzem o atrito entre os ossos, músculos, tendões ou ligamentos. Existe uma infinidade delas no corpo. O joelho contém várias bursas por conta das inúmeras estruturas próximas. Porém, frequentemente elas inflamam – fator que gera a bursite. Os sintomas são: dor e inchaço, sendo que é comum sentir um pequeno nódulo na região.

Prevenção e Tratamento

Cada tipo de lesão segue um tratamento específico. Em casos mais graves, com ruptura de tecido, pode ser necessária a cirurgia. Em lesões menos extensas e mais crônicas, algumas ações podem ser tomadas para melhorar as dores já existentes e, principalmente, para prevenir o agravamento da lesão ou o surgimento de novas dores.

Regular atividade física e peso: diminuir a carga sobre articulação afetada deve ser a primeira medida a ser tomada. A maneira mais fácil para aliviar os joelhos é baixar o peso e reduzir o número de horas em pé ou de treino. Lembrando que o objetivo não é parar de praticar a atividade, mas sim estimular a pratica sem agredir o organismo;

Correção biomecânica: corrigir o alinhamento articular é muito importante para evitar as sobrecargas das estruturas do joelho. O joelho em valgo (para dentro) ou em varo (para fora) pioram o encaixe entre os ossos, podendo levar a um aumento de pressão, tração ou atrito articular;

Crioterapia: a aplicação de gelo é um recurso bastante utilizado para alívio de dor. O efeito analgésico e anti-inflamatório, combinado ao seu fácil acesso, fazem do gelo um dos recursos mais utilizados para amenizar o desconforto;

Joelheira: a joelheira é um equipamento que ajuda a estabilizar melhor a articulação do joelho. Ela pode ser usada durante as atividades físicas ou até mesmo ao longo do dia. É importante verificar a compressão que ela está causando, para não prejudicar a circulação local, pois isso pode aumentar a dor;

Infiltração: é um procedimento médico que consiste na aplicação de corticosteroide, anestésicos ou ácido hialurônico para tratar lesões, inflamações ou reduzir a dor. Seu efeito é, muitas vezes, imediato. Porém alguns estudos revelam a degradação das estruturas do joelho em pacientes que utilizam o método de forma recorrente;

Cirurgia: há uma infinidade de cirurgias que podem ser realizadas no joelho. Existem cirurgias minimamente incisivas, como a artroscopia, por exemplo, que é uma cirurgia com auxílio de uma micro câmera inserida dentro da articulação. Outro tipo é a artroplastia, em que há substituição articular por uma prótese ortopédica.

https://www.youtube.com/watch?v=_nURvFfQtmE

0


Deixe uma resposta

  • drmarciosilveira on 2 de outubro de 2019 às 16:55:20
  • drmarciosilveira on 2 de outubro de 2019 às 15:17:25
  • drmarciosilveira on 23 de setembro de 2019 às 11:42:21

Este post foi criado por Dr. Márcio Silveira Ligar 23/09/2019.