Bursite no quadril – sintomas e tratamentos

bursite no quadril

A bursite no quadril pode ocorrer nas quatro bursas existentes (bursa trocantérica, bursa isquiática, bursa ilio-psoas e a bursa do glúteo médio). Em todas as bursas pode ocorrer inflamação (bursite), no entanto, existem fatores (localização, atividades, etc.) que tornam a bursite mais frequente em algumas localizações.

>>> Saiba sobre as Tendinites no quadril >>>

Tipos de bursite no quadril

A bursite trocantérica (ou trocanterite) é a inflamação da bursa trocantérica que se localiza na região trocantérica (entre o trocânter maior do fêmur e a banda ílio-tibial e o tendão do músculo do glúteo médio). A trocanterite é o tipo de bursite mais frequente.

A bursite isquiática (inflamação da bursa isquiática) ocorre com relativa frequência, apesar de ser menos frequente que a bursite trocantérica. A bursa isquiática está localizada entre o glúteo maior e a tuberosidade isquiática.

Para além destas duas bursas (bursa trocantérica e bursa isquiática), existem outras duas (bursa ilio-psoas e a bursa do glúteo médio), se bem que seja rara a ocorrência de inflamação nestas duas bolsas sinoviais.

A bursite no quadril, principalmente a bursite trocantérica, é uma das causas frequentes para a dor peritrocantérica (dor na região femoral proximal ou “dor na face externa do quadril”).

A bursite trocantérica está, muitas vezes, associada à tendinite da fáscia lata.

Sintomas

A dor no quadril é a principal sintomatologia da bursite no quadril, cuja localização depende da bursa afetada.

Na bursite trocantérica (trocanterite), os sintomas caracterizam-se pela sensibilidade e dor na região lateral da coxa (“do lado de fora”) que, por vezes, irradia para a região inguinal (região da virilha). A dor tende a intensificar com a atividade (caminhada, subir ou descer escadas, etc.). Os doentes, por norma, sentem dificuldade em deitarem-se “de lado” sobre o quadril afetado, causando frequentemente dificuldades em dormir durante a noite.

Na bursite isquiática, os sintomas são a dor e sensibilidade localizadas na área da nádega e que irradia para a face posterior da coxa. Esta bursite pode causar dor forte, que se nota com maior frequência ao subir escadas ou caminhar em planos inclinados. A dor é, muitas vezes, sentida após exercício prolongado em superfícies duras.

Em qualquer uma das bursites, a dor no quadril pode variar de moderada a intensa e pode irradiar em alguns casos para a coxa e para o joelho. Nos esportistas, a prática de exercício físico pode agravar as queixas, fundamentalmente nos casos em que existe treino intensivo ou um aumento repentino da carga de treino, devendo equacionar-se a suspensão da atividade física.

Causas da bursite no quadril

Bursite do quadril  é causada por inflamação que resulta de traumatismos e esforços repetidos.

A prática de certos esportes ou atividades (futebol, atletismo, trilha, musculação, etc.) pode desencadear a bursite pelo esforço realizado. A bursite pode ocorrer mais facilmente se as atividades não reunirem as condições para serem praticadas. Alguns fatores de risco para o desenvolvimento da bursite são: calçado esportivo inadequado, superfícies irregulares, superfícies inclinadas, etc..

Algumas profissões, pelas atividades que desenvolvem, como por exemplo, subir e descer as escadas, atividades repetitivas, etc. podem estar mais suscetíveis ao desenvolvimento de bursite.

Bursite trocantérica está muito associada à realização de movimentos repetitivos de flexão / extensão (esticar e dobrar o quadril).

Bursite isquiática é mais frequente em pessoas que permanecem sentadas durante muito tempo e em superfícies duras. Os doentes mais obesos que perdem peso de uma forma repentina e reduzem a proteção gordurosa (nas nádegas) estão mais suscetíveis à inflamação da bursa isquiática.

A bursite no quadril pode também surgir na sequência de algumas doenças reumáticas (artrite reumatóide, gota, lúpus, artrite psoriática, etc.), embora também seja pouco frequente como manifestação primária.

bursite no quadril

bursite no quadril - bursas

O diagnóstico da bursite no quadril é feito, essencialmente, pela avaliação clínica. O médico ortopedista após recolher a história clínica irá observar o doente. Através da localização da dor, entre outros, o médico poderá diagnosticar a bursite. Exames auxiliares como ultrassonografia e ressonância podem ser pedidos.

Tratamentos para bursite no quadril

A maioria das bursites do quadril é de causa não infecciosa (assépticas), então o tratamento consiste nos seguintes procedimentos:

  • Medidas Gerais – a primeira medida para a recuperação é realizar repouso. Sendo assim, terá de parar de praticar esportes ou trabalhos que agravem os sintomas, durante 3-4 semanas. Redução de peso e uso de calçado adequado para atividades esportivas. Devem evitar subir / descer planos inclinados (montanhas, colinas, escadas) e não realizar pressão direta no quadril afetado (dormir para o outro lado). No caso dos esportistas, o treino pode ser substituído por outras atividades de manutenção que não exijam ou minimizem o esforço nos quadris.
  • Gelo – fazer a aplicação de gelo (frio) na região afetada permite auxiliar na redução da inflamação e diminuir as dores. Poderá aplicar uma bolsa de gelo caseiro enrolado numa compressa ou num pano (toalha por exemplo), para não queimar a pele, durante 15 minutos. Poderá, mais tarde, voltar a colocar o gelo durante mais 15 minutos, repetindo este processo 4-6vezes por dia.
  • Medicação anti-inflamatória – os medicamentos (ou remédios) anti-inflamatórios não-esteróides (AINE’s) possibilitam aliviar a dor e o edema (inchaço). Para prevenir alguns desses efeitos adversos, o médico poderá associar-lhe um protetor gástrico. Podem também ser usados anti-inflamatórios na sua forma tópica, para a aplicação de pomada na região afetada.
  • Injeções de cortisona – a infiltração de cortisona na sua forma injetável (injeção) consiste numa forte medicação anti-inflamatória.

Tratamento especializado e individualizado em Brasília / DF.

Fisioterapia

O tratamento fisioterapêutico da bursite no quadil consiste num conjunto de procedimentos muito importantes na redução da inflamação e alívio da dor na anca. O fisioterapeuta pode realizar ultrassons, massagens com gelo ou técnicas de estimulação para melhorar a cicatrização.

São recomendados alguns exercícios específicos de modo a permitir fortalecer os músculos das pernas. A terapia de ondas de choque extracorporal são uma técnica que permite emitir impulsos (ondas de choque) de alta energia. Estas ondas geram uma espécie de “microtrauma” que permite beneficiar o processo de cicatrização natural da bursa inflamada.

>>> Protocolos de Fisioterapia para quadril >>>
>>> Fisioterapia na reabilitação do quadril >>>
>>> Tratamento com Ortotripsia – ondas de choque >>>

Drenagem cirúrgica

Ou bursectomia consiste na remoção do saco da bursa infetado (bursectomia), através de uma pequena cirurgia (ou operação) também pode ser necessário. No entanto, a necessidade deste recurso é raro, sendo utilizado nos casos infecciosos.

Perguntas frequentes

Onde fica a bursite trocantérica no quadril?2020-03-16T07:54:48-03:00

Esta bursite é uma inflamação da bursa, que é um tecido sinovial localizado na porção lateral do quadril, que serve de proteção entre o músculo lateral da coxa e o ponto mais proeminente do osso do fêmur, chamado de trocânter maior.

Qual o tratamento para bursite no quadril?2020-03-16T08:02:41-03:00

O tratamento para bursite inclui anti-inflamatórios, aplicação de compressa de gelo na região para alívio da dor e fisioterapia. Vale também diminuir a sobrecarga dos treinos e até pará-los por um tempo. A melhor forma, no entanto, é prevenir.

Como é a dor da bursite no quadril?2020-03-16T07:50:48-03:00

Os sintomas mais comuns que podem ocorrer durante uma bursite no quadril são: Dor na região lateral do quadril que pode aumentar de intensidade quando se está muito tempo de pé ou deitado de lado; Dor ao toque; Dor que irradia para a coxa.

[jetpack-related-posts]

2023-04-24T11:08:14-03:00

Sobre o Autor:

Dr. Márcio R. B. Silveira, formado em 2006 pela faculdade federal de medicina da Universidade de Brasília (UnB), com especialização, no ano de 2009, em Traumatologia e Ortopedia pela residência da SES / DF, com subespecialização, no ano de 2012, em cirurgia do joelho e trauma esportivo em Belo Horizonte / MG, acompanhando os médicos do Cruzeiro Esporte Clube nos hospitais Maria Amélia Lins, Lifecenter, Belo Horizonte, Belvedere e João XXIII. Médico ortopedista especialista em Traumatologia com foco em Esportiva (ombro, quadril, tornozelo, pé, cotovelo), Cirurgia do Joelho, Adulto e Infantil, e Ortopedia do Idoso em Brasília / DF.

Deixar Um Comentário

Ir ao Topo