Ruptura do músculo gastrocnêmio (tennis leg)

Início/Traumatologia Esportiva/Ruptura do músculo gastrocnêmio (tennis leg)

Ruptura do músculo gastrocnêmio

É uma lesão muito comum, na região da panturrilha, que ocorre preferencialmente na parte da junção miotendínea do gastrocnêmico medial. Também conhecida como “tennis leg”, pois é comum nos praticantes de tênis, principalmente nos amadores.

tennis leg

A ruptura do músculo gastrocnêmio, também chamado de tennis leg, caracteriza-se por uma lesão muscular de grau variado, podendo chegar à ruptura completa. Diagnóstico diferencial para dor no tendão de Aquiles. Normalmente, ocorre em decorrência a um movimento súbito e potente como em um tiro curto de corrida.

Você sentirá um choque ou uma pedrada na barriga da perna (distensão) ou apenas que esta parte ficou dura, travada (contratura). Tanto a distensão muscular como a contratura podem ser muito desconfortáveis. É importante parar imediatamente e tratar com o procedimento RICE (repouso, gelo, elevação e compressão), ou seja, colocar o gelo com a perna elevada e uma atadura elástica para comprimir a lesão. Pode levar algumas semanas para recuperar totalmente e a volta precoce piora a lesão, levando à cronicidade e diminuindo o desempenho em quadra.

O tempo de recuperação da ruptura do músculo gastrocnêmio é variado para cada atleta e esse tempo tem que ser respeitado pelo atleta, pois ele é necessário para o retorno à pratica esportiva, sem nenhum risco de recidiva da lesão.

Prevenção

Para prevenir esta lesão é muito importante estar aquecido antes de qualquer treino ou jogo. A panturrilha suporta altas cargas, por isso, entrar em fadiga e romper não é muito difícil. Aqueça esta musculatura com exercícios de ficar na ponta dos pés, partindo de uma posição mais baixa do calcanhar em relação ao tornozelo, por exemplo, em um degrau ou rampa, logo em seguida dê um trote.

>>> Instruções para fortalecimento da perna e tornozelo >>>
>>> Saiba mais sobre lesões músculo-tendíneas >>>

ruptura do músculo gastrocnêmio

Durante a preparação física, elabore exercícios excêntricos para todo o membro inferior, fazendo treinamentos de desaceleração. Além do aquecimento, outros fatores, como a condição física atual, podem influenciar: avaliação das articulações e qualidade muscular (massa magra, elasticidade, potência, força e resistência muscular), não só local, mas de uma forma global, podem nos auxiliar em um programa de prevenção de lesão e ruptura do músculo gastrocnêmio.

Tratamento da ruptura do músculo gastrocnêmio

>>> Exame de Análise dinâmica da pisada e postura >>>

Repouso, medicação anti-inflamatória e fisioterapia por 6 semanas. Distensões, geralmente lesões sem equimose (roxo) ou edema local (inchaço), associado com dor leve, poder retornar após 3 semanas para as atividades físicas. É importante realizar o fortalecimento, com ênfase nos exercícios excêntricos, pois a lesão e o repouso provocam atrofia muscular, podendo predispor a nova ruptura do músculo gastrocnêmio.

Tratamento especializado e individualizado em Brasília / DF.

Muito bom! Você leu todo o conteúdo. Gostou? Divulgue para seus amigos(as) e deixe um comentário ou dúvida aqui 

Perguntas frequentes

O que fazer para acabar com a dor na panturrilha?2020-11-21T10:50:19-03:00
Para aliviar a dor na panturrilha, algumas estratégias simples que podem ajudar são:
  1. Colocar compressa de gelo sobre a panturrilha;
  2. Fazer massagem no músculo;
  3. Realizar alongamento do músculo;
  4. Beber muita água e comer alimentos ricos em sódio e potássio;
  5. Repousar.
O que causa distensão na panturrilha?2020-02-27T08:44:46-03:00

Distensão da panturrilha. Bastante comuns em velocistas, a distensão geralmente é causada por um grande esforço, que leva à ruptura de fibras musculares.

Como curar lesão na panturrilha rápido?2020-11-21T10:50:21-03:00
A lesão muscular da panturrilha é uma das lesões mais comuns do esporte. Tratamento Inicial de Lesão Muscular da Panturrilha:
  1. Descanso.
  2. Aplicar gelo ou compressas frias por 15-20 minutos, 3-4 vezes por dia durante as primeiras 48-72 horas;
  3. Use um envoltório elástico ou bandagem ao redor da área para minimizar o inchaço;
Quanto tempo demora para curar um estiramento na panturrilha?2020-02-27T08:41:51-03:00

O tempo de recuperação para a síndrome da pedrada (estiramento na panturrilha) depende varia entre 2 semanas a 1 ano, dependendo da gravidade do estiramento: Grau 1- Leve estiramento muscular : 2 semanas. Grau 2 – Estiramento muscular moderado: 8 a 10 semanas; Grau 3 – ruptura do músculo : 6 meses a 1 ano.

Artigos relacionados

2020-11-30T21:52:41-03:00

Sobre o Autor:

Dr. Márcio R. B. Silveira, formado em 2006 pela faculdade federal de medicina da Universidade de Brasília (UnB), com especialização, no ano de 2009, em Traumatologia e Ortopedia pela residência da Secretária de Saúde de Brasília / DF, em sua rede pública de hospitais, com subespecialização, no ano de 2012, em cirurgia do joelho e traumatologia esportiva em Belo Horizonte / MG, acompanhando os médicos do Cruzeiro Esporte Clube e os serviços dos hospitais Maria Amélia Lins, Lifecenter, Belo Horizonte, Belvedere e João XXIII. Atuante principalmente no tratamento de lesões de cartilagem, buscando sua reparação e transplante; lesões de menisco com sutura em crianças e reparo; rupturas ligamentares articulares e sua reconstrução biológica e prevenção; tratamento da artrose, com medidas medicamentosas e artroplastias; tendinites e rompimento de tendões provocadas tanto por atividades esportivas, como por alterações degenerativas; fraturas em idosos que apresentam ossos mais frágeis; e enfoque na reabilitação muscular e postural. Médico ortopedista especialista em Cirurgia do Joelho, Traumatologia Esportiva e Ortopedia do Idoso, atende em Brasília / DF, na sua clínica Salus e Consolidação Ortopedia, Fisioterapia e Acupuntura, fornecendo tratamento conservador e operatório no Plano Piloto, Asa Norte, Taguatinga e Ceilândia.

6 Comentários

  1. Maria Terezinha Leite 9 de novembro de 2018 em 16:56- Responder

    Adorei esse artigo. Bem escrito e de fácil entendimento para os leigos no assunto.

    • drmarciosilveira 27 de fevereiro de 2020 em 08:54- Responder

      Obrigado, é muito bom saber que foi de auxílio.

  2. Renato 16 de julho de 2020 em 09:22- Responder

    Dr bom dia, estou em Portugal e infelismente trabalhando descarregando o caminhao no qual trabalho aconteceu como o srⁿ escreveu parece q vc tava la comigo, fiz a forca pra empurrar a palete e senti como se alguma coisa tivesse caido da outra palete e batido na minha batata da perna, incrivel olhei e nao vi nada, foi quando cai no chao de dor, e agora gelo gelo e remedio direto to igual a um um malandro em cima da cama sem fazer nada

  3. drmarciosilveira 16 de julho de 2020 em 10:07- Responder

    Renato, de acordo com o que você escreveu o importante é diferenciar de ruptura do tendão de Aquiles, que pode até ser necessário operação ( https://drmarciosilveira.com/ruptura-do-tendao-calcaneo-aquiles/ ) . Um exame de ultrassom estaria indicado. Sendo somente a lesão muscular na perna, é o tratamento que fala no artigo.

  4. Bruno Basto 27 de novembro de 2020 em 23:09- Responder

    Boa noite, Dr. Márcio. Eu sou tenista desde criança, e também costumo correr. Tenho 43 anos. Há exatamente uma semana atrás, sofri uma lesão na panturrilha da perna esquerda, acarretando uma “rotura da junção miotendínea distal do gastrocnêmio medial com interposição de finas lâminas líquidas, acometendo uma área que mede cerca de 3,5 x 2,8 cm” (peguei o laudo da ultra hoje). No dia da lesão, e nos primeiros dias seguintes, a dor era intensa. Mas após uma semana, já ando praticamente normal e sem dores. Mas o que eu noto, como o o Sr. bem relatou no artigo, é uma perda na musculatura lesionada. É possível/indicado eu praticar natação? A partir de que momento o Sr. acha aconselhável eu iniciar alguma trabalho de reforço/terapia muscular? E dar os primeiros trotes? Não vejo a hora…

  5. drmarciosilveira 28 de novembro de 2020 em 18:26- Responder

    Bruno, reforço muscular aconselho após 6 semanas. Repouso nas primeiras 3 semanas, após iniciar fisioterapia. Pode fazer fisioterapia antes, mas somente analgésica, iniciando a cinesioterapia quando completar 3 semanas. Trote e corrida aconselho iniciar somente após reforço muscular, com 9-12 semanas. Pode fazer natação após 3 semanas sem bater perna e após 6 semanas batendo perna leve. Você vai sentindo de acordo com os sintomas. Lembrar que no reforço muscular deve trabalhar também a contração excêntrica, e fazer exercício tanto em pé, quanto sentando, porque é um músculo biarticular. Qualquer lesão no músculo provoca perdas de fibras musculares que tem de recuperar após a cicatrização da lesão.

Deixe um comentário ou questionamento

Ir ao Topo