A síndrome de contratura infrapatelar é uma patela baixa decorrente de sequela de intervenção operatória no joelho.

Patela baixa

Por definição, patela baixa é um quadro de dor anterior no joelho, associado a limitação de movimentos em qualquer grau, limitação da mobilidade patelar, havendo uma confirmação radiológica de uma patela em posição inferior à média normal de altura patelar, em um paciente submetido a cirurgia prévia ou a algum tipo de tratamento gessado no joelho acometido.

As causas que levam a uma patela baixa são divididas em dois grupos: o primeiro, associado a uma insuficiência ou inibição reflexa do quadríceps com ou sem retração tissular; o segundo, associado a uma cirurgia do aparelho extensor.

Classificação

A ‘‘síndrome de contratura infrapatelar” é classificada por Paulos em três estágios:

Estágio prodrômico — Em que ocorreriam alterações inflamatórias e os pacientes seriam vistos entre a 2.ª e a 6.ª semanas de pós-operatório;
Estágio ativo — Em que se observaria endurecimento da gordura de Hoffa e rigidez do tendão patelar. Os pacientes seriam vistos entre a 6.ª e a 20.ª semanas de pós-operatório;
Estágio residual — A artrose femoropatelar estaria presente e os pacientes seriam vistos a partir do 8.° mês

síndrome da contratura infrapatelar

Quadro clínico e Exames

O sintoma principal é a dor, que chega a ser incapacitante em alguns casos. Uma história de cirurgia prévia ou uma imobilização prolongada com o joelho em extensão costuma ser freqüente na maioria dos pacientes. Some-se a isso uma recuperação fisioterápica difícil e dolorosa. Ao se examinar os pacientes, observa-se uma localização baixa da patela, quando comparada com o joelho contralateral, com as pernas pendentes na mesa de exame, uma limitação de movimentos, incapacidade de extensão ativa do joelho e dor à mobilização da patela.

Radiologicamente, observa-se a baixa localização da patela na incidência lateral e na incidência axial da patela não se consegue visualizar o espaço femoropatelar, aparecendo a imagem em “pôr do sol” de Dejour.

Causas de dor anterior no joelho >

Tratamento

O tratamento da patela baixa é consensual nos estágios iniciais da patologia. Recomenda-se o uso de antiinflamatórios não hormonais e o início de reabilitação fisioterápica precocemente. Nos casos resistentes ao tratamento conservador, estaria indicado o desbridamento artroscópico. No estágio residual, o tratamento da patela baixa é pouco discutido, sendo recomenda o avanço da tuberosidade anterior da tíbia ou a patelectomia ou a artroplastia total do joelho, objetivando o alívio da dor, não definindo os critérios de indicação para cada um dos procedimentos.

Muito bom! Você leu todo o conteúdo. Gostou? Divulgue para seus amigos(as) e deixe um comentário ou dúvida aqui 

Artigos Relacionados: