Raiz do menisco

A raiz do menisco é um local em que estes terminam e se fixam no osso. Cada menisco (medial ou lateral) têm duas raizes: uma na parte da frente do joelho (anterior) e outra na parte de trás (posterior).

Quando uma pessoa apoia o peso sobre o joelho, a força exercida sobre os meniscos tende a fazer com que eles sejam “expulsos” para fora do joelho. Isso não acontece devido à forte fixação que os meniscos têm em suas raízes, as quais atuam como uma âncora.

Na presença de uma lesão da raiz, esta ancoragem é perdida, levando à extrusão do menisco. Estudos biomecânicos demonstram que o menisco extruso se comporta da mesma forma do que uma retirada completa dos meniscos, podendo levar ao desenvolvimento precoce de artrose nos joelhos.

Lesão da raiz do menisco

A lesão da raiz dos meniscos acomete a sua inserção na tíbia, geralmente na sua inserção posterior, embora também possa ocorrer na inserção anterior. Pode ocorrer tanto no menisco lateral ou medial. As publicações sobre este tipo de lesão tem aumentado nos últimos anos, e alguns autores tem denominado este tipo de lesão como “o início do fim do joelho”. Isto porque quando ocorre este tipo de lesão o menisco tende a se deslocar durante o apoio do peso, deixa de absorver impacto, e aumenta a pressão na cartilagem articular. Estudos recentes tem demonstrado que a lesão da raiz do menisco apresenta um grande risco de evolução para artrose.

Tipos de lesão

As lesões das raízes dos meniscos podem ser divididas em dois grupos:

  • Lesões degenerativas: Representam a maior parte das lesões. Acometem pacientes de meia idade, mais frequentemente mulheres. Podem estar associadas também a obesidade, sedentarismo e deformidade em varo dos joelhos. O paciente tipicamente não se recorda de um evento traumático, ou então a lesão ocorre após um movimento simples, como ao se ajoelhar ou se agachar. São mais comuns na raiz posterior do menisco medial.
  • Lesões traumáticas: Observadas após traumas agudos, muitas vezes em associação com lesões do ligamento cruzado anterior (LCA). São mais comuns em pacientes jovens do sexo masculino. Ocorrem mais frequentemente na raiz posterior do menisco lateral.
lesão da raiz do menisco
tipos de lesões da raízes meniscais

Tratamento da lesão da raiz meniscal

Há um enfoque atual no tratamento cirúrgico para reparar a raiz do menisco em casos de lesão. Os trabalhos mais recentes tem demonstrado resultados superiores quando o menisco é reparado, comparado ao tratamento não-operatório ou a meniscectomia, tanto em melhora dos sintomas quanto menor evolução da artrose. Entretanto fatores prognósticos também foram identificados, contribuindo na seleção ideal dos casos para a cirurgia ou tratamento não operatório. Pacientes com artrose, idade avançada e deformidade do joelho tendem a pior resultado quando comparado a pacientes jovens, com cartilagem preservada e sem deformidade. Além disso, nestes últimos casos faz muito mais sentido o emprego de cirurgia para reparo do menisco e preservação da cartilagem articular.

Lesões da raiz do menisco medial

As lesões de raiz do menisco medial ocorrem frequentemente em um cenário de artrose moderada ou grave, devendo nestes casos serem tratadas sem cirurgia. Nestes casos, o menisco é geralmente degenerativo ou desgastado, e os estudos demonstraram que, se essas lesões forem corrigidas cirurgicamente, elas se romperão novamente em um período muito curto de tempo. Na presença de osteoartrite mínima e na ausência de obesidade ou mau alinhamento, a cirurgia poderá ser indicada. O reparo tende a melhorar as queixas do paciente, além de retardar a progressão da artrose.

Lesões da raiz do menisco lateral

As lesões da raiz do menisco lateral costumam ocorrer após traumas graves, com lesão associada do Ligamento Cruzado Anterior. Estas lesões têm indicação para tratamento cirúrgico.

Técnica cirúrgica

O reparo cirúrgico das lesões de raiz do menisco é tecnicamente bastante diferente do reparo que é feito em outros tipos de lesões meniscais. Depois de fazer uma sutura em torno da raiz do menisco, perfuramos um buraco da frente da tíbia (osso da perna) para a área da raiz. Depois, as suturas são levadas por este furo e fixadas na frente da tíbia.

Prognóstico

Estudos demonstram resultados bastante variáveis com a cirurgia, alguns demonstrando que uma alta porcentagem de reparos são bem-sucedidos e outros mostrando que a taxa de sucesso pode ser muito menor. A taxa de sucesso será determinada por muitos fatores:

  • Características da lesão: lesões degenerativas em pacientes com artrose não levarão a um bom resultado.
  • Cirurgia: O sucesso da cirurgia depende de se conseguir fixar o menisco em seu local original. Quando o cirurgião não for capaz de corrigir uma eventual extrusão meniscal o menisco não será capaz de recuperar sua função e o resultado será insatisfatório.
  • Cicatrização do menisco: Depende, por um lado, da qualidade do reparo obtido com a cirurgia, e por outro do respeito ao protocolo de reabilitação após a cirurgia.

Pós-operatório

Após a cirurgia, o paciente deverá permanecer seis semanas em uso de muletas sem a descarga de peso na perna operada. A mobilização se inicia de imediato, sendo limitada a um arco de movimento de 0 a 60 graus nas três primeiras semanas, depois 0-90 graus na próximas 3 semanas e após mobilização completa após este período.

>>> Protocolo de pós-operatório >>>

Muito bom! Você leu todo o conteúdo. Gostou? Divulgue para seus amigos(as) e deixe um comentário ou dúvida aqui