Mosaicoplastia no Joelho

A cartilagem que recobre os nossos ossos pode ser comparada, analogamente, ao asfalto que cobre as ruas: quando ele está em boas condições, os veículos se locomovem sem complicações.

No entanto, conforme o fluxo aumenta, existem fatores que podem comprometer o estado do asfalto: alto fluxo, peso dos carros, acidentes ou até mesmo a qualidade do material, resultando em um desgaste inevitável. Nesse exemplo comparativo, a cartilagem se desgasta a medida que a pessoa envelhece. Esse processo pode ser acelerado por uso excessivo da articulação, peso elevado, traumas (ex.: fraturas, entorses) e fatores genéticos.

Dr. Márcio Silveira: Ortopedista Especialista em Traumatologia Esportiva, Joelho - Adulto e Infantil - e Idoso mosaicoplastia

Existem dois tipos principais de lesões na cartilagem: quando ela se alastra por muitas regiões do joelho, em outras palavras, de maneira mais generalizada, a chamamos de artrose (ou osteoartrite, gonartrose, osteoartrose).

Já abordamos o tratamento para artrose. Nessa seção, falarem mais especificamente sobre as lesões focais (mais pontuais) da cartilagem, como se fossem – recuperando a analogia do asfalto usada no começo do texto – os “buracos” da rua que necessitam de recapeamento.

Os “buracos” que são formados na cartilagem podem ser mais superficiais ou bem profundos, atingindo dessa forma, até o osso que deveria estar coberto. As lesões profundas são as mais preocupante, pois resultado em dor e possuem menor potencial de cicatrização. Por conta disso, essas lesões são também as que podem necessitar de tratamento cirúrgico.

Tratamento de mosaicoplastia do joelho

mosaicoplastia de joelho é uma modalidade de transplante em que retiramos tecido do próprio paciente. Diferente do implante de condrócitos, nessa técnica, retiramos pequenos segmentos (chamados de plugs) contendo cartilagem e osso de áreas sadias e os implantamos nas áreas doentes. Os plugs são retirados de áreas que não sofrerão com a ausência da cartilagem.

A mosaicoplastia do joelho é uma técnica cirúrgica que pode ser indicada pelo ortopedista especialista em Joelho para tratar lesões cartilaginosas focais (crateras articulares), bem delimitadas e pouco extensas.

O método é uma modalidade de transplante que consiste em retirar pequenos segmentos (denominados de plugs) ósseos revestidos de cartilagem e implantar no local lesionado – a cartilagem utilizada no transplante pode vir do próprio paciente ou ser homologa (de doador falecido).

As opções de tratamento cirúrgico para lesão na cartilagem variam conforme tamanho da lesão, e inclui microfraturas, membranas de colágeno e transplante de cartilagem. A cartilagem utilizada no transplante pode ser proveniente do próprio paciente ou de doador falecido – semelhante a transplante de outros órgãos, como fígado e coração.

Que pacientes estão aptos a passar pela mosaicoplastia do joelho?

Para realizar a mosaicoplastia do joelho o paciente precisa se enquadrar em uma série de critérios, confira as seguir alguns deles.

– Ter menos de 50 anos

– Não sofrer com artrose

– Não ser obeso

– A lesão focal precisa ter entre 1 e 4 cm²

Cuidados que o paciente deve ter após a mosaicoplastia do joelho

Após o procedimento, no pós-operatório, o paciente deve deambular (caminhar) com o auxílio de um par de muletas, evitando soltar o peso no joelho operado por, pelo menos, seis semanas.

Meses depois da mosaicoplastia do joelho é possível que haja atrofia muscular da coxa. Isso pode acontecer porque a região fica em desuso por um período. Desse modo, é essencial que o paciente faça sessões de fisioterapia posteriormente.

Ao passar por esse tipo de procedimento, um indicativo de que a lesão foi curada é o alívio da dor.

Sobre o Dr. Márcio Silveira, especista em joelho, ortopedia do idoso e traumatologia esportiva em Brasília / DF >
Saiba mais sobre as lesões osteocondrais >