X

Uso do salto alto – cuidados que dever ter

Muitas mulheres fazem do uso do salto alto um estilo de vida, ou seja não dão um passo sequer sem ele. Andar constantemente sobre saltos altíssimos e desconfortáveis pode acarretar diversos problemas.

O que desencadeia os problemas do uso do salto alto é a grande pressão que todo o corpo exerce sobre a parte da frente de nossos pés, em apenas uma pequena área, a dos metatarsos.

Muitas vezes a mulher necessita andar diariamente assim. Muitas profissões atuais exigem isto. É o caso por exemplo das recepcionistas, atrizes, modelos, secretárias, etc. Nestes casos alguns cuidados se fazem necessários para que não sejam vítimas dos efeitos prejudiciais decorrentes do uso excessivo do salto.

Um cotidiano em que seja constante o uso deste tipo de calçado pode acarretar muitos problemas, já que “andar no salto” impacta a coluna, os joelhos, membros inferiores, sistema vascular e outros órgãos. Portanto, quem não pode literalmente “descer do salto” precisa se cuidar.  Muitas mulheres nesta situação desconhecem os males do uso do salto alto e correm riscos de sofrerem consequências graves.

Consequências do constante uso do salto alto

O uso do salto alto, além de prejudicar seriamente a coluna faz com que ao caminhar a postura fique alterada. Os popularmente chamados sapatos de salto causam pressão em excesso nos joelhos onde comumente ocorre condropatia.

Outros danos são causados por andar continuamente de salto alto. O hábito pode levar por exemplo, ao encurtamento dos músculos localizados na parte de trás da perna. Causa dores musculares e dor constante nos joelhos.

Além disso, ao aumento da carga sobre os dedos (antepé), com o calcanhar elevado, altera a biomecânica dos membros inferiores e da região lombar, pois é grande a sobrecarga, já que o peso do corpo permanece concentrado em uma pequena região dos pés.

Quem mais sofre com a elegância feminina é a coluna pois há o aumento na curvatura da região lombar (hiperlordose).

Mas, ainda tem o risco de entorses, e inflamação nos tendões. A parte vascular também é vítima do salto alto. Ao diminuir a contração muscular fica reduzido o retorno venoso podendo causar um edema nas pernas, principalmente em pessoas com predisposição.

Ainda podem ocorrer as calosidades, joanetes e encravamento das unhas, principalmente se o sapato for de bico fino.

Principais problemas aos membros inferiores

Como provoca o encurtamento da musculatura da perna e do tendão calcâneo, tem de trabalhar o alongamento e fortalecimento dessas estruturas constantemente.

Dicas para o uso do salto alto

– Procure alternar usando diferentes tipos de saltos no cotidiano. Faça um rodízio usando um dia um formato de salto, no outro dia um mais confortável.
Saltos muito altos e que não dão total equilíbrio ao corpo, como o salto agulha, por exemplo, não devem ser usados todos os dias. Este tipo de salto levanta o calcanhar excessivamente. Por ser um salto muito fino, o peso do corpo vai ficar todo concentrado na ponta de seus pés. E isto causa desconforto, dor nas pernas e nos pés e prováveis doenças na coluna.
– Mude o tamanho dos saltos. Isto quer dizer que o melhor é você variar os centímetros de seus saltos. Quando você varia os tamanhos seus músculos não serão forçados em excesso todos os dias e estarão experimentando diferentes estágios de contração.
– Procure evitar fazer longas caminhadas em uso do salto alto. Se o lugar onde você precisa ir é longe e você não dispõe de condução, vá com uma sandália mais baixa até chegar mais próximo ao local. Estando perto, troque a sandália pelo salto alto.
– Cuide de seus pés e pernas. Prepare-os para aguentar o uso do salto alto. Fortaleça e alongue sues músculos e tendões dos membros inferiores de rotina.
– Saiba que saltos em torno de 3 centímetros são o melhor para o uso diário.

Muito bom! Você leu todo o conteúdo. Gostou? Divulgue para seus amigos(as) e deixe um comentário ou dúvida aqui

Agende uma consulta em Brasília / DF!

(61)998700816
drmarciosilveira: Dr. Márcio R. B. Silveira, formado em 2006 pela faculdade federal de medicina da Universidade de Brasília (UnB), com especialização, no ano de 2009, em Traumatologia e Ortopedia pela residência da Secretária de Saúde de Brasília / DF, em sua rede pública de hospitais, com subespecialização, no ano de 2012, em cirurgia do joelho e traumatologia esportiva em Belo Horizonte / MG, acompanhando os médicos do Cruzeiro Esporte Clube e os serviços dos hospitais Maria Amélia Lins, Lifecenter, Belo Horizonte, Belvedere e João XXIII. Atuante principalmente no tratamento de lesões de cartilagem, buscando sua reparação e transplante; lesões de menisco com sutura em crianças e reparo; rupturas ligamentares articulares e sua reconstrução biológica e prevenção; tratamento da artrose, com medidas medicamentosas e artroplastias; tendinites e rompimento de tendões provocadas tanto por atividades esportivas, como por alterações degenerativas; fraturas em idosos que apresentam ossos mais frágeis; e enfoque na reabilitação muscular e postural. Médico ortopedista especialista em Cirurgia do Joelho, Traumatologia Esportiva e Ortopedia do Idoso, atende em Brasília / DF, na sua clínica Salus e Consolidação Ortopedia, Fisioterapia e Acupuntura, fornecendo tratamento conservador e operatório no Plano Piloto, Asa Norte, Taguatinga e Ceilândia.

Deixe uma Mensagem ou Comentário

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *

Veja os comentários (0)

Esta página usa cookies para melhorar a sua experiência. Ao continuar navegando, entenderemos que você concorda com a nossa política de privacidade.