As principais rupturas de tendões no joelho

As rupturas de tendões no joelho ocorrem no mecanismo extensor:

Acontecem comumente devido a um processo de tendinopatia crônica, mal tratada ou associada com doenças renais ou diabetes. É bastante comum em indivíduos que usam de anabolizantes, pela sobrecarga e o excesso de exercício nesse público.

Em conjunto, os tendões quadricipital e patelar suportam até cerca de 17.5 vezes o peso do nosso corpo. Mesmo sendo bastante resistentes, esses tendões podem ser rompidos, seja por algum trauma (ex.: queda da escada, queda de moto), excesso de peso (ex.: pessoas com obesidade mórbida, levantamento de peso excessivo), ou degeneração (ex.: senilidade, tendinopatia crônica).

rupturas de tendões no joelho

Sobre as rupturas de tendões

A ruptura tendinosa é muito menos frequente que a ruptura muscular. O coeficiente de elasticidade tendinosa é muito menor que a muscular, a estrutura mais compacta do tendão também forma maior resistência à tração muscular.

A complexidade anatômica e funcional do sistema tendinoso explica os erros de diagnóstico comuns na Traumatologia Esportiva.

Estamos com Platt e Riva, que afirmam que a rupturas de tendões no joelho dar-se-ia unicamente nos tendões que apresentassem patologia prévia. Durante nossas operações, encontramos essas alterações.

As alterações podem ser inflamatórias e degenerativas. As inflamatórias traumáticas são agudas e crônicas. As agudas são causadas por trauma súbito, com estiramento do tendão durante exercícios violentos. As crônicas são causadas por traumatismos repetidos no mesmo tendão.

Como identificar as rupturas de tendões no joelho

Atletas podem apresentar lesões agudas ou crônicas em tendões. As primeiras são frequentemente rupturas – parciais ou totais, relacionadas a um trauma, e as últimas surgem por sobrecarga.

Os métodos de Diagnóstico por Imagem para rupturas de tendões no joelho são excelentes aliados dos ortopedistas e médicos do esporte para o diagnóstico destas lesões. Embora as radiografias não possam produzir imagens nítidas de estruturas de partes moles, como os tendões, elas são usualmente realizadas inicialmente na investigação da dor do esportista. E serão muito úteis caso diagnostiquem calcificação na região de um tendão, ou um esporão ósseo (no caso do calcâneo), ou mesmo um aumento do volume das partes moles, significando indícios de lesões a serem investigadas.

O exame de ultra-sonografia (US)

Realizado prontamente como primeiro exame ou após a realização de radiografias, destaca-se pela capacidade de poder analisar com qualidade os tendões. Ao se realizar um exame de US, o médico ultrassonografista avalia se os tendões estão normais ou alterados. Resumidamente, as alterações possíveis de serem encontradas nos exames de US são: tendão espessado (com ou sem heterogeneidade de sua textura), presença de calcificações, rupturas parciais ou totais de suas fibras, e líquido em quantidade anormal em sua bainha sinovial (membrana que envolve o tendão).

Complicações

A ocorrência das rupturas de tendões no joelho são relativamente comuns, principalmente para quem já passou dos 55. Mas se não for diagnosticada a tempo – alerta – pode causar danos, como a perda de força ou de movimento.

Saiba mais sobre as lesões mais comuns no joelho >

Referências:

  1. Avaliação do tendão quadríceps e ligamento patelar pela ultrassonografia e ressonância magnética em jogadores de futebol assintomáticos
  2. Roturas totais do aparelho extensor do joelho

MUITO BOM! VOCÊ LEU TODO O CONTEÚDO. Ficou alguma dúvida? Deixe uma pergunta nos comentários abaixo, que será respondida.