A Pseudoartrose (ou Pseudartrose) é uma complicação caracterizada pela ausência da consolidação de uma fratura. Em outras palavras, é uma falha no processo de regeneração do osso quebrado que impede a total recuperação do mesmo.

Não existe um período pré-determinado para a consolidação de uma fratura, mas a média fica entre um e três meses. O tratamento completo das fraturas mais complexas pode demorar até um ou dois anos, dependendo do osso fraturado, da gravidade da lesão e das condições do paciente.

O médicoortopedista realiza o acompanhamento do paciente após a fratura e gera uma estimativa de tempo para o tratamento e resultado. Se durante as consultas e realização dos exames de imagem ele perceber que o osso não está consolidando, pode haver suspeita de Pseudoartrose. A partir daí, ocorre o encaminhamento para uma avaliação mais profunda do caso.

Dr. Márcio Silveira: Ortopedista Especialista em Traumatologia Esportiva, Joelho - Adulto e Infantil - e Idoso pseudoartrose hipertrofica de ossos

Quais as causas?

Assim que a fratura ocorre, o corpo humano já começa a trabalhar para ‘consertar’ o problema. Junto com a ruptura do osso acontece também a ruptura de um dos mecanismos de irrigação sanguínea óssea, os vasos. Quando isso acontece, surge o hematoma que dá início ao processo de formação do calo ósseo, que é responsável por “religar” os fragmentos que foram fraturados.

A Pseudoartrose se dá justamente quando esse processo não ocorre de maneira natural. A principal causa conhecida para que isso ocorra é o tratamento incorreto/inadequado da fratura. Essa situação pode se dar tanto por um paciente que não procura ajuda e/ou não realiza corretamente o tratamento, como por um profissional que não efetua o tratamento de maneira eficaz e correta, por isso a importância de procurar um bom médico especialista e seguir todas as recomendações dadas por ele.

O tratamento incorreto se apresenta como uma das causas da Pseudoartrose justamente porque o osso precisa de uma estabilização adequada para se reestruturar, ou seja, ele precisa estar no lugar correto e ser imobilizado dessa maneira, e também de uma boa irrigação sanguínea da região que é fundamental para o desenvolvimento do calo ósseo.

Alguns outros fatores podem estar atrelados ao surgimento da Pseudartrose são a falta de vitaminas, o consumo de álcool, o tabagismo, a velhice e problemas de circulação. Apesar de poderem estar associadas à Pseudoartrose, alguns estudos questionam se essas características são suficientes para serem consideradas causas únicas da condição.

Sintomas

Basicamente, os sintomas serão muito parecidos aos do momento da fratura. O paciente pode sentir dor na região, apresentar inchaço, deformidade e mobilidade anormal no local da fratura, além de hematomas.

Uma Fratura de Escafoide (punho), por exemplo, pode passar despercebida. O paciente acaba não procurando ajuda médica e desenvolve Pseudoartrose. É muito comum também que a Tíbia e o Fêmur sofram com a condição, bem como as fraturas expostas, justamente por estarem em uma situação menos favorável à estabilidade.

Diagnóstico

O diagnóstico da Pseudoartrose se dá pela união de alguns fatores. Em geral, o médico realiza um exame clínico avaliando a região afetada e coletando informações importantes com o paciente (sintomas, trauma, etc). As radiografias são utilizadas para complementar o diagnóstico porque mostram se há progresso na recuperação óssea.

É importante lembrar que nem sem sempre o retardo na consolidação do osso significa que há Pseudoartrose. Em idosos, por exemplo, uma fratura pode levar mais tempo para se consolidar. Por isso o acompanhamento médico é extremamente importante para verificar se existe a possibilidade de Pseudoartrose – e investiga-la.

Tratamento

O tratamento cirúrgico é o mais comumente indicado para a Pseudoartrose. Como existe a questão da falta de irrigação sanguínea (por conta da quebra dos vasos), pode ser necessário que o paciente faça um enxerto ósseona região afetada, a fim de devolver as condições ideais para a estrutura óssea associado com estabilização com placas metálicas ou fixador externo da área para recuperar a estrutura natural.

A sequência do tratamento conta com fisioterapia para recuperar a força e os movimentos, tudo acompanhado de perto por um especialista para avaliar o progresso e a recuperação completa da fratura e da Pseudoartrose.

Saiba mais sobre a pseudoartrose >