Dor facetária ou artrose da articulação das facetas

A dor facetária é uma patologia em que as pequenas articulações, chamadas facetas, localizadas na parte de trás da coluna vertebral, estas facetas quando apresentam artrose se tornam dolorosas, semelhante à dor causada pela artrose no joelho ou nos quadris.

As articulações conectam os ossos que se alinham para formar a coluna vertebral. Articulações saudáveis deslizam livremente e permitem o movimento. O processo natural de envelhecimento, lesões, artrite e certas condições da coluna podem mudar a maneira com que as articulações facetarias se movem e levam a dor e ao movimento restrito. Tais sintomas são conhecidos como síndrome da articulação facetaria.

A artrite da articulação facetária é também conhecida como artropatia facetária, ou espondilose ou espodiloartrose.

Para a maioria das pessoas, os sintomas da síndrome da articulação facetaria são aliviados com medicamentos e fisioterapia.

Para proporcionar resultados mais duradouros, pode ser utilizado o seguinte procedimento: a neurotomia por radiofrequência (rizotomia por radiofrequência), utiliza o calor para ‘”desligar” um nervo e impedi-lo de captar sinais de dor.

>>> Diferenças entre hérnia e protrusão de disco >>>

 

Dr. Márcio Silveira: Ortopedista Especialista em Traumatologia Esportiva, Joelho - Adulto e Infantil - e Idoso espondilodiscoartrose

 

Como se desenvolve a Artrose da Articulação das Facetas

Cada articulação da faceta está revestida com uma cartilagem e com o tempo há desgaste cartilaginoso.

Como resultado, a articulação poderá apresentar inflamação e desenvolver osteófitos, ampliando a articulação. Isto é também chamado de hipertrofia conjunta da faceta.

 

Dr. Márcio Silveira: Ortopedista Especialista em Traumatologia Esportiva, Joelho - Adulto e Infantil - e Idoso art apofisaria

 

São vários os fatores que podem estar relacionados a estas alterações articulares, mas geralmente a etiologia está relacionada a qualquer estímulo que incida pressão sobre a articulação facetaria ao longo do tempo, veja alguns exemplos destes estímulos:

    • Trabalho manual repetitivo e com sobrecarga;
    • Obesidade;
    • Falta de exercício físico regular;
    • Falta de condicionamento físico.

Dr. Márcio Silveira: Ortopedista Especialista em Traumatologia Esportiva, Joelho - Adulto e Infantil - e Idoso artrosecervical

Fatores genéticos também podem influenciar mesmo na ausência destes fatores externos.

Quais são as opções de tratamentos para a dor facetária

A maioria das pessoas com síndrome da articulação facetaria conseguem alívio dos sintomas com medicação, modificação de atividades diárias e fisioterapia.

 

Dr. Márcio Silveira: Ortopedista Especialista em Traumatologia Esportiva, Joelho - Adulto e Infantil - e Idoso dor facetaria

 

Medicamentos podem ajudar a reduzir a dor e inchaço. O seu médico pode prescrever medicação para a dor ou relaxante muscular.

Você poderá ser encaminhado à fisioterapia e acupuntura com a finalidade de reeducação postural tanto para ficar em pé, andar ou realizando outras atividades. Você pode aprender novas maneiras de realizar atividades, tais como levantamento, para reduzir a quantidade de estresse nas suas costas. Os exercícios fisioterápicos podem ajudar a aumentar a força e flexibilidade.

Dr. Márcio Silveira: Ortopedista Especialista em Traumatologia Esportiva, Joelho - Adulto e Infantil - e Idoso irradiacao cervical

A neurotomia de radiofreqüência usa o calor para criar uma lesão no nervo que prejudica a sua capacidade de enviar sinais de dor. A dor não é sentida porque o nervo é ‘desligado’. Geralmente leva de três a quatro semanas para os nervos tratados morrerem completamente. Durante este período, o seu pescoço ou as costas podem ficar fragilizados. Você pode experimentar dor até que os nervos estejam totalmente desativados.

 

Dr. Márcio Silveira: Ortopedista Especialista em Traumatologia Esportiva, Joelho - Adulto e Infantil - e Idoso rizotomia 5 Dr. Márcio Silveira: Ortopedista Especialista em Traumatologia Esportiva, Joelho - Adulto e Infantil - e Idoso bloqueio coluna

 

A neurotomia de radiofreqüência para a síndrome da articulação facetária fornece tipicamente alívio dos sintomas por cerca de um ano. A fisioterapia pode ajudar a recuperar força e flexibilidade para que você possa retomar suas atividades favoritas. Se você sentir dor novamente, o tratamento pode ser repetido.

 

Dr. Márcio Silveira: Ortopedista Especialista em Traumatologia Esportiva, Joelho - Adulto e Infantil - e Idoso procedimento infiltracao na coluna

 

TEM ALGUMA DÚVIDA? Deixe uma pergunta nos comentários abaixo, que será respondida.

Perguntas frequentes

O que é lumbago com ciática?2023-06-11T09:50:54-03:00

O lumbago é a dor que aparece na região lombar, em consequência de uma anomalia ao nível das vértebras, dos ligamentos, dos discos intervertebrais ou dos músculos. Quando essa dor se estende ao músculo da perna – geralmente pela parte posterior -, aparece a chamada “dor ciática”.

Como evitar dorsalgia?2023-06-11T09:50:32-03:00

Simples mudanças posturais, como manter a coluna sempre ereta e evitar inclinar e torcer o tronco nas atividades do dia a dia e prática regular de atividades físicas podem ajudar a prevenir boa parte das dores na coluna.

Quais são os sintomas da dorsalgia?2023-06-11T09:50:09-03:00

Quando a dorsalgia surge, além da dor nas costas ela pode estar acompanhada de outros sintomas, como:
  • Pontadas;
  • Sensação de queimação na coluna;
  • Dificuldade para movimentar.
Quanto tempo dura uma infiltração na coluna?2020-03-11T08:09:30-03:00

O efeito da infiltração no controle da dor lombar dura de 90 dias a mais de um ano, dependendo da medicação, da articulação e do tempo de repouso após a infiltração.

Para que serve infiltração na coluna?2020-03-11T08:07:14-03:00

As infiltrações na coluna costumam trazer alívio da dor e melhora da movimentação da coluna de forma definitiva ou temporária e, ainda por cima, ajudam o médico a identificar a estrutura exata responsável pela dor.

[jetpack-related-posts]

2024-02-02T07:00:40-03:00

Sobre o Autor:

Dr. Márcio R. B. Silveira, formado em 2006 pela faculdade federal de medicina da Universidade de Brasília (UnB), com especialização, no ano de 2009, em Traumatologia e Ortopedia pela residência da SES / DF, com subespecialização, no ano de 2012, em cirurgia do joelho e trauma esportivo em Belo Horizonte / MG, acompanhando os médicos do Cruzeiro Esporte Clube nos hospitais Maria Amélia Lins, Lifecenter, Belo Horizonte, Belvedere e João XXIII. Médico ortopedista especialista em Traumatologia com foco em Esportiva (ombro, quadril, tornozelo, pé, cotovelo), Cirurgia do Joelho, Adulto e Infantil, e Ortopedia do Idoso em Brasília / DF.

Deixar Um Comentário

Ir ao Topo