Fratura de estresse – edema ósseo

Início/Traumatologia Esportiva/Fratura de estresse – edema ósseo
fratura de estresse

Uma das lesões mais comuns em atletas é a fratura de estresse. Tratar uma uma fratura por estresse é difícil, mas pode ser feito.

O que é uma fratura por estresse?

A fratura de estresse é uma lesão pelo esforço. Ela ocorre quando os músculos se tornam fatigados e são incapazes de absorver choques adicionais. Eventualmente, o músculo fatigado transfere a sobrecarga de estresse para o osso causando edema ósseo que pode aumentar e iniciar uma rachadura minúscula chamada fratura de estresse.

O que causa uma fratura por estresse?

Fraturas de estresse frequentemente são o resultado do aumento da quantidade ou da intensidade de uma atividade muito rapidamente. Elas também podem ser causadas pelo impacto de uma superfície desconhecida (um jogador de tênis que trocou as superfícies de uma quadra de saibro macio para uma quadra dura), equipamento inadequado (um corredor usando sapatos desgastados ou menos flexíveis) e aumento do estresse físico (o jogador de basquete que teve um aumento substancial no tempo de jogo).

Onde ocorrem fraturas por estresse?

A maioria das fraturas de estresse ocorrem nos ossos de sustentação de peso da perna e do pé. Mais do que 50% de todas as fracturas de estresse ocorrem na parte inferior da perna.

>>> Leia sobre a síndrome do estresse medial tibial >>>

Quais atividades tornam os atletas mais suscetíveis a fraturas por estresse?

Estudos têm demonstrado que os atletas participantes de tênis, na quadra e saibro, ginástica e basquete e militares são muito suscetíveis. Em todos estes desportos, o estresse repetitivo do pé colidindo com o chão pode causar traumas. Sem descanso suficiente entre os treinos ou competições, o atleta está em risco para o desenvolvimento de uma fratura por estresse.

As mulheres são mais suscetíveis a fraturas de estresse que os homens?

As fraturas por estresse afetam pessoas de todas as idades que participam de atividades desportivas repetitivas, como correr. Os estudos médicos mostraram que atletas femininas parecem ter mais fraturas de estresse do que os seus homólogos masculinos. Muitos cirurgiões ortopédicos atribuem isto a uma condição referida como “a tríade da mulher atleta”: distúrbios alimentares (bulimia ou anorexia), amenorréia (ciclo menstrual infreqüente) e osteoporose. Como diminui a massa óssea no osso da mulher, aumentam suas chances.

>>> Conheça mais sobre a tríade da mulher atleta >>>

Quais são os sintomas de uma fratura por estresse?

Dor com a atividade é a queixa mais comum de uma fratura por estresse. Esta dor desaparece com o repouso.

Como são diagnosticadas fraturas por estresse?

É muito importante que durante o exame médico o médico avalie fatores de risco do paciente para fratura por estresse.

Os raios X são usados ​​para determinar fratura por estresse. Às vezes, a fratura por estresse não pode ser visto em raios-x normal ou não vai aparecer por várias semanas após a dor começar, podendo ser solicitado cintilografia óssea. Ocasionalmente, uma tomografia computadorizada (TC) ou ressonância magnética (RM) será necessário, para ver o edema ósseo.

Como as fraturas por estresse são tratadas?

O tratamento mais importante é o descanso. As pessoas precisam descansar da atividade que causou a fratura por estresse, e se envolver em uma atividade sem dor durante as seis a oito semanas que levam para as fraturas de estresse curar.

Se a atividade que causou a fratura por estresse é retomada muito rapidamente, maior e mais difícil de curar as fraturas de estresse podem se tornar. Nova lesão também pode levar a problemas crônicos, na qual a fratura por estresse pode nunca cicatrizar corretamente.

Além do repouso, palmilhas ou talas podem ser usados ​​para ajudar na consolidação destas lesões.

Tratamento especializado e individualizado em Brasília / DF, no Plano Piloto, Asa Norte, Ceilândia e Águas Claras.

>>> Saiba mais sobre os tratamentos das fraturas de estresse >>>

edema ósseo

Prevenção

Aqui estão algumas dicas para ajudar a evitar fraturas por estresse:

  • Ao participar de qualquer atividade esportiva nova, definir metas de aumento da atividade. Por exemplo, não partir imediatamente para executar cinco quilômetros por dia, em vez disso, gradualmente alcançar a sua distância desejada em um período semanal.
  • Alternar treinamentos – alternando atividades que proporcionam as mesmas metas de condicionamento – pode ajudar a prevenir lesões como fraturas por estresse. Em vez de correr todos os dias para cumprir as metas cardiovasculares, executá-lo em dias pares e de bicicleta em dias ímpares. Adicione um pouco de treinamento de força e exercícios de flexibilidade à mistura para o máximo benefício.
  • Manter uma dieta saudável. Certifique-se de incorporar cálcio e vitamina D de alimentos ricos em suas refeições.
  • Use o equipamento adequado. Não use tênis velhos ou desgastados.
  • Se a dor ou inchaço ocorrer, pare imediatamente a atividade e repouso por alguns dias. Se a dor continuar, consulte um cirurgião ortopédico.
  • É importante lembrar que se você reconhecer os sintomas no início (edema ósseo) e tratá-los adequadamente, você pode retornar ao esporte em seu nível normal mais rapidamente.
Muito bom! Você leu todo o conteúdo. Gostou? Divulgue para seus amigos(as) e deixe um comentário ou dúvida aqui 

HORÁRIOS DE ATENDIMENTO

Segunda à Sexta em horário comercial
Em Brasília / DF, no plano piloto, Asa Norte, Ceilândia e Águas Claras.

Veja a agenda clicando aqui

Perguntas frequentes

Como ocorre fratura de estresse no osso?2020-02-25T19:36:35-03:00

A fratura por estresse ocorre quando o osso é submetido a cargas muito intensas e não suporta tamanha pressão. A sobrecarga e o aumento do impacto fragilizam o osso a ponto de fazê-lo trincar e quebrar.

Quanto tempo leva para curar uma fratura por estresse?2020-02-25T19:33:21-03:00

A maioria das fraturas de estresse são tratadas não cirurgicamente. Normalmente leva de 6 a 8 semanas para ocorrer a consolidação total de uma fratura por estresse.

Quanto tempo dura um edema ósseo?2020-02-25T19:31:21-03:00

Edema ósseo pode durar de alguns dias a alguns meses. Quando associada a lesão ligamentar como o ligamento cruzado anterior, por exemplo, melhora entre 2 a 3 semanas, período no qual o atleta deixa de sentir dor e pode evoluir com queixas de falseio.

Artigos relacionados

2020-02-29T12:50:24-03:00

Sobre o Autor:

Dr. Márcio R. B. Silveira, formado em 2006 pela faculdade federal de medicina da Universidade de Brasília (UnB), com especialização, no ano de 2009, em Traumatologia e Ortopedia pela residência da Secretária de Saúde de Brasília / DF, em sua rede pública de hospitais, com subespecialização, no ano de 2012, em cirurgia do joelho e traumatologia esportiva em Belo Horizonte / MG, acompanhando os médicos do Cruzeiro Esporte Clube e os serviços dos hospitais Maria Amélia Lins, Lifecenter, Belo Horizonte, Belvedere e João XXIII. Atuante principalmente no tratamento de lesões de cartilagem, buscando sua reparação e transplante; lesões de menisco com sutura em crianças e reparo; rupturas ligamentares articulares e sua reconstrução biológica e prevenção; tratamento da artrose, com medidas medicamentosas e artroplastias; tendinites e rompimento de tendões provocadas tanto por atividades esportivas, como por alterações degenerativas; fraturas em idosos que apresentam ossos mais frágeis; e enfoque na reabilitação muscular e postural. Médico ortopedista especialista em Cirurgia do Joelho, Traumatologia Esportiva e Ortopedia do Idoso, atende em Brasília / DF, na sua clínica Salus Ortopedia, Fisioterapia e Acupuntura, fornecendo tratamento conservador e operatório no Plano Piloto, Asa Norte, Águas Claras e Ceilândia.

4 Comments

  1. Rita Gomes 14 de novembro de 2018 em 09:01- Responder

    Tive um edema ósseo no cotovelo a cerca de 3 anos. Ontem bati com esse mesmo cotovelo com muita força em uma mesa e os mesmos sintomas do edema ósseo voltaram. É possível ter criado outro edema por cima de um já existente?

  2. drmarciosilveira 19 de novembro de 2018 em 20:03- Responder

    Rita, edema ósseo é um problema que você teve há 3 anos e sarou, nada impede de ter novamente, inclusive no mesmo local.

  3. Marcos Antônio Nunes Silva 13 de fevereiro de 2020 em 10:32- Responder

    Bom dia! Fraturei a coluna em três vertebras l1 t11 e t7 e já se vão 7 meses, tenho edema osseo em dua vertebras e osteopenia é possil haver calcificação já que não calcificou nada?

  4. drmarciosilveira 13 de fevereiro de 2020 em 13:16- Responder

    Marcos, claro que pode haver calcificação ainda, tem de avaliar o que está acontecendo para demorar tanto a sarar: uso ineficaz do colete ou colete errado? Alguma doença que altera a consolidação?

Deixe um comentário ou questionamento