Luxação do ombro: fisioterapia e operações

Início/Ombro e cotovelo/Luxação do ombro: fisioterapia e operações
luxação do ombro

A luxação do ombro pode ocorrer quer no ombro esquerdo quer no ombro direito. Classifica-se em luxação anterior (para a frente), posterior (para trás), superior (para cima) ou inferior (para baixo), consoante a direção de deslocação da cabeça do úmero. Designamos por subluxação do ombro quando esta perda de contato não é total.

O ombro é constituído por três ossos, a saber: escápula, o úmero (osso do braço) e a clavícula. Existem também três articulações no ombro. Habitualmente, quando nos referimos à luxação do ombro estamos a referir-nos aquela que atinge a articulação glenoumeral. No entanto, o ombro também inclui mais duas articulações acessórias, pelo que também pode ocorrer a luxação da acromioclavicular ou luxação esternoclavicular.

O ombro luxado é uma situação complexa, que exige atuação médica imediata no sentido de a reduzir (recolocar na posição anatômica original).

Causas da luxação do ombro

As causas mais frequentes de luxações nos adultos, são as traumáticas e ocorrem especialmente nos atletas, quer por traumatismo direto do ombro quer por mecanismo de tração e torção.

Os esportes de contato, como por exemplo, o basquetebol, são os que mais episódios de luxação provocam. Contudo outros, como por exemplo a prática de musculação ou levantamento de pesos, também possam contribuir para a sua ocorrência.

O tratamento consiste em colocar o “ombro deslocado no lugar”, isto é, fazer a redução do ombro. E deve ser feito de urgência.

Sintomas

Os sinais e sintomas que habitualmente ocorrem com a luxação do ombro são a dor, geralmente muito intensa, e o aparecimento de deformidade com o desaparecimento do contorno arredondado do ombro.

O braço apresenta impotência funcional marcada, estando com a mobilização bloqueada:

  1. rotação externa e abdução ligeira – na luxação anterior;
  2. rotação interna e adução – na luxação posterior;
  3. abdução superior a 90ª – na luxação inferior (ou ereta).

É importante verificar se existem lesões vasculares ou nervosas associadas, através da pesquisa de pulsos periféricos e exame neurológico após a redução.

Diagnóstico

O diagnóstico de luxação do ombro é feito pelo médico ortopedista. Exige, por vezes, elevado índice de suspeição, principalmente a luxação posterior. Um exame físico cuidadoso e exames auxiliares. A radiografia (RX) , em incidência especiais, tomografia computorizada (TC) para confirmar a posição da cabeça e a existência de lesões ósseas associadas, e ressonância magnética (RM) para melhor estudar as lesões de partes moles, nomeadamente o labrum e a cápsula.

Tratamento para a luxação do ombro

Em caso de ocorrer uma luxação do ombro deve ser efetuada uma correta avaliação clínica e exames para determinar a posição da cabeça do úmero e excluir lesões associadas, como por exemplo, fraturas do úmero ou escápula.

O tratamento consiste em recolocar o ombro no lugar, retornando a posição anatômica glenoumeral.

Existem várias técnicas de redução, mas todas consistem em fazer tração sobre o membro afetado e manipular suavemente a cabeça do úmero para a sua posição anatômica habitual.

Depois deve-se imobilizar o ombro luxado através de uma tipóia braquial. Normalmente com uma banda torácica para manter o membro superior junto ao corpo e ter um efeito protetor para o ombro.

A prescrição de medicamentos ou remédios para aliviar a dor e inflamação, assim como fazer a aplicação local de gelo, podem ajudar a obter o efeito analgésico.

Após retirar a imobilização e iniciar a fisioterapia, por volta de 3 semanas, calor ajudará na recuperação da amplitude articular. Em alguns casos o doente desenvolve um quadro de rigidez extrema, resistente ao tratamento, a chamada capsulite adesiva. Nesta situação uma infiltração poderá ajudar a resolver o problema.

>>> O que é Capsulite adesiva >>>

O tratamento fisioterapêutico consiste em efetuar exercícios para fortalecer a musculatura da forma mais natural e progressiva possível.

>>> Exercícios para Fortalecimento do ombro >>>

O tratamento cirúrgico reserva-se para situações em que a redução por manipulação não é possível ou quando esta se torna recidivante.

ombro luxado

Luxação do ombro recidivante

A luxação recidivante do ombro é uma situação que geralmente ocorre quando o 1º episódio de luxação surge em idade jovem. Abaixo dos 30 anos a taxa de recidiva é superior a 50%.

Quanto mais recidivas o doente sofrer, mais facilmente esta passa a acontecer e mais difícil se torna a sua resolução cirúrgica.

Tratamento especializado e individualizado em Brasília / DF.

Cirurgia

A operação para estabilização do ombro (de Bankart ou de Latarjet), está indicada, após ponderar os riscos e complicações.

A operação de Bankart consiste em fazer a reparação das estruturas danificadas pela luxação: labrum e ligamento gleno-umeral inferior. Estes são considerados os principais estabilizadores do ombro, e é realizado por via artroscópica.

>>> Operação por Artroscopia >>>

A operação de Latarjet consiste em formar um batente ósseo, fixando com 2 parafusos um pequeno enxerto transferido da coracóide. Impede assim a luxação da cabeça, tendo etapas que tem de fazer um acesso aberto.

O tempo de repouso é superior a 1 mês e a recuperação total ronda os 4 a 6 meses.

Prevenção da luxação do ombro

A prevenção das lesões passa por efetuar exercícios específicos de reforço dos rotadores, combinada com treino proprioceptivo. É também importante, a conscientização sobre as posições do membro superior que favorecem a luxação e que deverá evitar.

Em casos raros, poderá ser necessária uma alteração das suas atividades ou uma eventual adaptação da modalidade esportiva para praticar.

Muito bom! Você leu todo o conteúdo. Gostou? Divulgue para seus amigos(as) e deixe um comentário ou dúvida aqui 
clínica salus trata

Agende uma consulta!

Descubra nossos protocolos de tratamento eficazes e sem cirurgia, baseados em exame clínico detalhado, exame tridimensional do movimento, marcha, postura, corrida e atendimento cordial.

HORÁRIOS DE ATENDIMENTO

Segunda à Sexta em horário comercial
Em Brasília / DF

Veja a agenda clicando aqui

Perguntas frequentes

Como saber se é luxação de ombro?2020-03-14T15:40:39-03:00
Os sinais e sintomas de uma luxação de ombro são:
  1. Dor local;
  2. Deformidade na articulação;
  3. Proeminência óssea;
  4. Pode haver fratura óssea exposta;
  5. Inchaço local;
  6. Incapacidade de realizar movimentos.
Quanto tempo demora para se recuperar de uma luxação de ombro?2020-03-14T15:38:04-03:00

Para luxação de ombro, geralmente quando a pessoa fica imobilizada por até 20 dias em apenas 1 semana já é possível voltar à mobilidade normal, mas quando a imobilização é necessária por mais de 12 semanas a rigidez muscular pode ser grande sendo preciso fazer fisioterapia.

O que é uma subluxação no ombro?2020-03-14T15:35:39-03:00

A luxação do ombro ou “ombro deslocado” é uma lesão na qual ocorre perda do contato e congruência entre as duas superfícies da articulação do ombro ou articulação glenoumeral (cabeça do úmero e cavidade glenóidea). Designamos por subluxação do ombro quando esta perda de contato não é total.

O que é bom para luxação no ombro?2020-03-14T15:33:22-03:00

O tratamento mais indicado para a luxação do ombro deve ser indicado após observar a idade, posição da articulação e estado de saúde da pessoa. Para aliviar a dor o médico pode receitar um analgésico ou anti-inflamatório. A luxação aguda deve ser reduzida de emergência.

Artigos relacionados

2020-08-29T15:21:01-03:00

Sobre o Autor:

Dr. Márcio R. B. Silveira, formado em 2006 pela faculdade federal de medicina da Universidade de Brasília (UnB), com especialização, no ano de 2009, em Traumatologia e Ortopedia pela residência da Secretária de Saúde de Brasília / DF, em sua rede pública de hospitais, com subespecialização, no ano de 2012, em cirurgia do joelho e traumatologia esportiva em Belo Horizonte / MG, acompanhando os médicos do Cruzeiro Esporte Clube e os serviços dos hospitais Maria Amélia Lins, Lifecenter, Belo Horizonte, Belvedere e João XXIII. Atuante principalmente no tratamento de lesões de cartilagem, buscando sua reparação e transplante; lesões de menisco com sutura em crianças e reparo; rupturas ligamentares articulares e sua reconstrução biológica e prevenção; tratamento da artrose, com medidas medicamentosas e artroplastias; tendinites e rompimento de tendões provocadas tanto por atividades esportivas, como por alterações degenerativas; fraturas em idosos que apresentam ossos mais frágeis; e enfoque na reabilitação muscular e postural. Médico ortopedista especialista em Cirurgia do Joelho, Traumatologia Esportiva e Ortopedia do Idoso, atende em Brasília / DF, na sua clínica Salus e Consolidação Ortopedia, Fisioterapia e Acupuntura, fornecendo tratamento conservador e operatório no Plano Piloto, Asa Norte, Taguatinga e Ceilândia.

Um Comentário

  1. Lesões comuns na corrida, ciclismo e natação - Ortopedista Especialista em Traumatologia Esportiva - DF 31 de maio de 2019 em 10:55- Responder

    […] Na Natação: lesão SLAP, subluxação de ombro, tendinite do manguito, compressão de nervo, discinesia da […]

Deixe um comentário ou questionamento