Reduzir chance de morte precoce com exercícios

Pessoas sedentárias que substituem 30 minutos sentadas na cadeira por exercícios físicos moderados a vigorosos podem reduzir chance de morte precoce em 35%, comprovaram os pesquisadores. Talvez pense que aquela caminhadinha leve não faz diferença significativa na sua saúde. Contudo um novo estudo reforça a importância de se levantar da cadeira e fazer qualquer atividade física que seja.

>>> Avaliação para iniciar atividade física >>>
>>> Prevenção de dores nos exercícios físicos >>>

Como obtiveram os dados que exercício pode reduzir chance de morte precoce?

Eles analisaram dados de um estudo nacionalmente representativo de pessoas de meia-idade nos Estados Unidos, realizado de 2009 a 2013. O levantamento foi para examinar as diferenças nos resultados de AVC em todo o país e entre diferentes grupos demográficos. Como parte do estudo, os voluntários foram convidados a usar rastreadores de exercícios físicos enquanto acordados por pelo menos quatro dias. Graças aos rastreadores, os pesquisadores foram capazes de medir objetivamente quanta atividade física uma pessoa teve em um dia, assim como a frequência com que ficou sentada. Eles usaram esses dados para estimar os efeitos da substituição do comportamento sedentário por qualquer quantidade de atividade física. No total, eles analisaram 7.999 voluntários que participaram do estudo, rastreando se eles morreram até 2017.

Reduzir chance de morte precoce Prancha como exercícios para idosos

Com chegaram nessa conclusão?

Com base em seus cálculos, a equipe descobriu que mesmo um nível modesto de exercícios físicos levaria a mudanças perceptíveis e positivas. Substituir o ato de ficar sentado por 30 minutos de exercícios físicos moderados a vigorosos (desde uma caminhada rápida até correr) por dia, por exemplo, pode reduzir chance de morte precoce em 35%. Com 30 minutos de atividade física leve (uma caminhada ao redor do quarteirão, fazendo tarefas), por sua vez, ainda levou a uma diminuição de 17% no risco de morte precoce.

Quais as recomendações de exercícios para reduzir chance de morte precoce?

“Se você tem um emprego ou estilo de vida que envolve ficar muito tempo sentado, você pode diminuir o risco de morte precoce se movendo com mais frequência pelo tempo que quiser e conforme sua habilidade permitir, quaisquer exercícios — quer isso signifique ter uma hora de aula de bicicleta ergométrica de alta intensidade ou escolher atividades de baixa intensidade, como caminhar”.

Trabalho anterior

Um trabalho anterior da própria equipe, usando os mesmos dados, descobriu que pessoas que faziam pausas e se levantavam da cadeira eram menos propensas a morrer cedo do que aqueles que ficavam sentados por horas. Porém, no estudo atual, eles não encontraram um efeito de mortalidade reduzida apenas no ato de fazer pausas. Isso é importante, porque sugere que se levantar do seu assento não é necessariamente o bastante para evitar que você morra cedo. Você precisa ser ativo durante esse tempo longe da cadeira para que realmente tenha uma diferença significativa para reduzir chance de morte precoce.

>>> Medidas para cuidar de seus músculos e articulações >>>
>>> Dicas para quem tem desgaste nas articulações >>>

 

O que é Alzheimer

O Alzheimer é o tipo de demência mais comum entre os adultos mais velhos. Destrói, de forma lenta, a memória, a capacidade de pensar e habilidade de realizar tarefas simples e, antes, intuitivas. Por não haver, ainda, uma cura para a doença, são utilizados medicamentos para apaziguar ou retardar a progressão dos sintomas. A doença foi batizada em homenagem ao médico Alois Alzheimer. Em 1906, o neuropatologista fez uma autópsia no cérebro de uma mulher que morreu após apresentar problemas de linguagem, comportamento imprevisível e perda de memória.

O Alzheimer instala-se quando o processamento de certas proteínas do sistema nervoso central começa a dar errado. Surgem, então, fragmentos de proteínas mal cortadas, tóxicas, dentro dos neurônios e nos espaços que existem entre eles. Como conseqüência dessa toxicidade, ocorre perda progressiva de neurônios em certas regiões do cérebro, como o hipocampo, que controla a memória, e o córtex cerebral, essencial para a linguagem e o raciocínio, memória, reconhecimento de estímulos sensoriais e pensamento abstrato. Sintomas: – falta de memória para acontecimentos recentes; – repetição da mesma pergunta várias vezes; – dificuldade para acompanhar conversações ou pensamentos complexos; – incapacidade de elaborar estratégias para resolver problemas; – dificuldade para dirigir automóvel e encontrar caminhos conhecidos; – dificuldade para encontrar palavras que exprimam idéias ou sentimentos pessoais; – irritabilidade, desconfiança injustificada, agressividade, passividade, interpretações erradas de estímulos visuais ou auditivos, tendência ao isolamento.

Fraturas na terceira idade >

Dr. Márcio Silveira: Ortopedista Especialista em Traumatologia Esportiva, Joelho - Adulto e Infantil - e Idoso

Importância da vitamina D >

Exercício físico na prevenção do Alzheimer

Um estudo analisou 250 potenciais conjuntos de dados de tratamento em humanos e roedores, e identificou aqueles mais eficazes para inverter os padrões de expressão genética da doença de Alzheimer. O exercício físico ficou entre as três principais terapias que poderiam reverter a doença de Alzheimer.

“Exercitar estimula padrões de expressão invertidos de centenas de genes de Alzheimer em múltiplas categorias, incluindo o citoesqueleto, desenvolvimento de vasos sanguíneos, mitocôndria e genes relacionados.”

Exercícios físicos se unem ao tratamento médico para melhorar a qualidade de vida de pacientes com Alzheimer.

“O que reflete no aumento da capacidade funcional, que é a habilidade da pessoa de realizar atividades de autocuidado, como vestir-se, banhar-se, alimentar-se, como na capacidade cognitiva. É importante salientar que o estilo de vida ativo é bom para todo mundo, e nunca é tarde demais para gente começar uma nova rotina com hábitos mais saudáveis”.

Um hormônio liberado pelos músculos durante o exercício físico pode ser a chave para a reversão das falhas na memória causadas pelo Alzheimer. Testes com camundongos mostraram que a irisina melhora a comunicação entre os neurônios, preservando as sinapses. O hormônio também impede que toxinas responsáveis pelas alterações neurodegenerativas, que levam ao desenvolvimento da doença, se liguem aos neurônios. A investigação demonstra que o exercício físico ajuda a prevenir o início e a progressão da doença, entre eles está recomendado o Pilates e o RPG.

Saiba mais sobre como evitar queda em idosos >
Entenda a osteoporose >

Referência:

– Exercise-linked FNDC5/irisin rescues synaptic plasticity and memory defects in Alzheimer’s models – Alzheimer’s disease large-scale gene expression portrait identifies exercise as the top theoretical treatment

 

[jetpack-related-posts]