Meniscos: tipos de lesões, causas e tratamentos

As lesões dos meniscos são raras na infância, ocorrendo principalmente no final da adolescência, com picos a partir da terceira e quarta décadas de vida. A principal causa é o trauma da articulação, porém, após os 50 anos de vida deve-se principalmente à degeneração do joelho. Portanto a lesão meniscal não é exclusiva dos “jogadores de futebol”. As mulheres inativas também são altamente propensas a desenvolver lesão de menisco degenerativa.

Meniscos

É uma estrutura composta por colágeno, localizada na articulação do joelho, entre o fêmur e a tíbia. Cada joelho possui 2 meniscos, um medial (na parte interna) e outro lateral (na parte externa). São semelhantes, porém o menisco lateral tem mais mobilidade que o lateral. Possui uma rica inervação e vascularização, por isso as lesões do menisco são dolorosas.

Dr. Márcio Silveira: Ortopedista Especialista em Traumatologia Esportiva, Joelho - Adulto e Infantil - e Idoso lesoes no menisco

O menisco medial é semicircular e anexado ao ligamento colateral medial (LCM) do joelho. É muito pouco móvel se comparado ao menisco lateral, deslocando-se somente 2-5 mm para dentro da articulação e, portanto, é mais propenso a lesões. O menisco lateral é mais ou menos circular em forma e move-se 9-11 mm.

Chama a atenção o que chamamos de “anatomia vascular dos meniscos”: estudos demonstraram que sua periferia é bem irrigada, por isso chamada de “zona vermelha” e sua região central não, recebendo nutrientes por embebição, por isso chamada de “zona branca”.

>>> Saiba sobre a Anatomia dos meniscos >>>

Função do menisco

O menisco tem 3 funções principais:

  • absorção do impacto da articulação, funcionando como uma espécie de amortecedor do joelho;
  • estabilizador, auxiliando os ligamentos a proporcionarem estabilidade para a articulação;
  • nutrição da cartilagem do fêmur e tíbia, pois aumentam a congruência articular e aumentam a pressão do líquido articular contra a cartilagem, auxiliando a entrada deste líquido na cartilagem.

Causas de lesões dos meniscos

A origem da lesão do menisco pode variar de movimentos corriqueiros do joelho como flexões, quedas, entorses, traumas no lar ou durante atividades esportivas. O paciente relata dor, apresenta-se mancando e a articulação do joelho mostra crepitações (barulhos, estalos), e limitação do movimento.

Lesões meniscais são muito comuns e podem ser traumáticas agudas, como, por exemplo, durante uma luta de jiu-jitsu ou judô ou degenerativas. Lesões dos meniscos traumáticas ocorrem classicamente durante as forças de torção no joelho em pessoas ativas jovens. A posição clássica é a do joelho flexionado ao extremo como, por exemplo, quando o individuo esta agachado ou ajoelhado que sofre entorse repentino.

Dr. Márcio Silveira: Ortopedista Especialista em Traumatologia Esportiva, Joelho - Adulto e Infantil - e Idoso MENISCO 1

Podemos dividir em 2 tipos de lesão do menisco:

  • lesões do menisco traumáticas, ou seja, após entorses ou luxações do joelho. Neste tipo, o menisco era sadio antes da lesão;
  • lesões do menisco degenerativas, comuns em pacientes após os 40 anos de idade, muitas vezes sem mecanismo de lesão evidente, às vezes após agachamentos completos. Neste caso, já havia algum processo degenerativo previamente.
tipos de rupturas dos meniscos

Nos casos de lesões pequenas, em que o paciente não está sentindo nenhum sintoma, não é necessária cirurgia, sendo o tratamento fisioterápico suficiente. Já nos casos de dor persistente, pode ser realizado um tratamento chamado artroscopia. Neste tratamento, uma câmera é introduzida na articulação e permite que o médico veja diretamente as lesões presentes. O tratamento pode ser feito com a sutura (dar pontos, geralmente em pacientes jovens) do menisco, ou mais comumente pode ser feita a retirada da parte rompida do menisco.

Tipos de lesões dos meniscos

As lesões de meniscos ocorrem de diferentes maneiras, são classificadas pela sua aparência, bem como onde a ruptura ocorre no menisco. As mais comuns incluem longitudinal, bico-de-papagaio, alça de balde e mista / complexa, menisco extruso.

O menisco pode apresentar vários tipos de lesão: ruptura parcial, total e complexa. Além disso, a ruptura do menisco pode ocorrer sozinha ou associada à ruptura de ligamentos ou artrose no joelho. Lesões degenerativas ocorrem como parte do desgaste progressivo em todo o conjunto, mais frequentemente em pacientes acima de 40 anos. Estas lesões são de clivagem, geralmente horizontais com mínima capacidade de cura.

As lesões podem ser descritas como sendo completas ou incompletas, estáveis ou instável e de vários padrões. Lesões meniscais relacionadas com esportes muitas vezes ocorrem juntamente com outras lesões no joelho, tais como ruptura do ligamento cruzado anterior. A maioria é composta de lesão vertical ou oblíquo (80%). O menisco medial é mais comumente afetado – 75% contra 25% no menisco lateral, 5% dos pacientes terão lesões bilaterais.

Alguns tipos de lesões dos meniscos podem provocar uma ação semelhante a válvula dentro da substância do menisco, e isso pode levar à formação de um cisto meniscal, que deve ser tratada da mesma forma, abordando o problema principal que é a lesão no menisco. A chance da formação de um cisto meniscal no menisco lateral é sete vezes maior que a do menisco medial.

Sintomas das lesões meniscais

O principal sintoma das lesões do menisco é dor no joelho, geralmente na parte interna ou externa da articulação, dependendo do menisco em questão. Derrame articular pode ocorrer após o evento que causou a lesão, porém geralmente não muito exuberante.

Nos casos de lesões em “alça de balde”, um pedaço do menisco fica deslocado, dando a sensação de que o joelho está “fora do lugar”, momentaneamente, até que a alça retorne ao local de origem. Quando a alça está deslocada, é comum a queixa de travamento, ou seja, o joelho nem flete nem estende até a alça retornar à sua posição.

Lesões do menisco

Você pode sentir um “pop” quando machuca um menisco. A maioria das pessoas ainda podem andar com seu joelho lesionado. Muitos atletas continuam a jogar com uma lesão no menisco. Mas, de 2 a 3 dias, o joelho irá gradualmente tornar-se mais rígido e inchado. Os sintomas mais comuns de ruptura meniscal são:

  • Dor
  • Rigidez e inchaço
  • Bloqueio do seu joelho
  • A sensação de seu joelho “voltando para o lugar”
  • Você não é capaz de mover seu joelho através de toda a amplitude de movimento

Sem tratamento, um pedaço do menisco rompido pode se soltar e flutuar dentro da articulação. Isso pode fazer com que seu joelho a falhe, doa ou bloqueie.

Diagnóstico e Exame dos meniscos

São usados 3 elementos para o diagnóstico de lesões do menisco: A história do paciente, com os dados do momento da lesão e os sintomas relatados, conforme acima citados. O exame físico realizado por ortopedista com experiência no tratamento destas lesões.

Existem alguns testes que falam a favor do diagnóstico. Exames de imagem: Radiografias, Tomografias e Ultrassonografia pouco ajudam. O exame que auxilia é a Ressonância Magnética. Apesar de ser um excelente exame, muitas vezes deixa dúvida. Por este motivo, é muito importante um bom exame clínico.

Exame físico e história do paciente

Depois de discutir os seus sintomas e histórico médico, o médico irá examinar o seu joelho. Ele irá verificar se há dor ao longo da linha da articulação, onde o menisco sensibiliza. Isso geralmente sinaliza uma ruptura do menisco.

Os exames de imagem

Como outros problemas no joelho podem causar sintomas semelhantes, o médico pode solicitar exames de imagem para ajudar a confirmar o diagnóstico da ruptura do menisco. Radiografias: embora os raios X não mostrem lesões meniscais, podem mostrar outras causas de dor no joelho, como a osteoartrite. Ressonância magnética (RM): este estudo pode criar melhores imagens dos tecidos moles do joelho.

artroscopia para reparo de lesões meniscais
Como o ortopedista tratará as lesões meniscais vai depender do tipo , seu tamanho e localização, sua idade e nível de atividade, além de doenças associadas. Artigo publicado em revista de circulação nacional sobre lesão meniscal: Tratamento de Ruptura de Menisco

Tratamento das lesões meniscais

Eu preciso operar uma lesão de menisco?

Tem de avaliar vários fatores inicialmente, como tipo de lesão, localização e causa, além de idade e quantidade de atividade do paciente.

Dr. Márcio Silveira: Ortopedista Especialista em Traumatologia Esportiva, Joelho - Adulto e Infantil - e Idoso lesao meniscal

 

O lado de fora de um terço do menisco tem um fornecimento de sangue rico. Nesta zona “vermelha” pode ocorrer cura das lesões meniscais, ou muitas vezes pode ser reparado com cirurgia. Uma ruptura longitudinal é um exemplo deste tipo. Em contraste , o interior de dois terços do menisco carece de um fornecimento de sangue. Sem nutrientes do sangue , as lesões desta zona “branca” não podem curar.

As lesões complexas são muitas vezes finas e desgastadas e como não podem cicatrizar, nesta zona são normalmente cortadas cirurgicamente. Junto com o tipo de lesão que você tem, sua idade, nível de atividade, e quaisquer lesões relacionadas também vai contribuir para o seu plano de tratamento.

Pode ser tentado o tratamento conservador, especialmente em pacientes mais velhos e com atividades pouco intensas, sendo mais comum o tratamento operatório em pacientes jovens.

Tratamento conservador das lesões de menisco

Caso a ruptura é pequena e sobre a borda exterior do menisco, pode não necessitar de reparação operatória. Enquanto os seus sintomas não persistem e seu joelho está estável, o tratamento conservador das lesões meniscais pode ser tudo o que você precisa. RICE: O protocolo RICE é eficaz para o tratamento das lesões meniscais na maioria das lesões relacionadas com esportes . RICE significa repouso, gelo (ice), compressão e elevação.

  • Repouso: Faça uma pausa a partir da atividade que causou a lesão . O seu médico pode recomendar que você use muletas para evitar colocar peso sobre a perna.
  • Gelo (Ice): Use compressas frias durante 20 minutos de cada vez, várias vezes por dia . Não aplique gelo diretamente sobre a pele .
  • Compressão: Para evitar o inchaço adicional e perda de sangue, usar uma bandagem de compressão elástica.
  • Elevação: Para reduzir o inchaço, deite quando você descansa, e coloque a perna mais alto que o coração.

Medicamentos anti-inflamatórios não esteroides: Drogas para reduzirem a dor e o inchaço. Fisioterapia e Acupuntura: técnicas para fortalecimento e retirada da sobrecarga sobre o menisco, com medidas analgésicas e anti-inflamatórias.

>>> Análise computadorizada da marcha e postura >>>

Processo de reabilitação através da fisioterapia

Dr. Márcio Silveira: Ortopedista Especialista em Traumatologia Esportiva, Joelho - Adulto e Infantil - e Idoso fisioterapia menisco

A fisioterapia é considerada um tratamento conservador, ou seja, é uma alternativa para indivíduos que não apresentam necessidade de intervenção cirúrgica, podendo estar associada ao uso de anti-inflamatórios. É indicada em casos de lesão degenerativa do menisco ou lesões traumáticas menores visualizadas através da ressonância magnética.

A reabilitação visa diminuir os sintomas inflamatórios e dolorosos, manutenção ou ganho da amplitude de movimento, fortalecimento muscular, aumento da estabilidade articular, estimulação proprioceptiva, condicionamento aeróbico, e retorno a atividade esportiva ou de vida diária.

Exercícios fisioterapêuticos para lesões meniscais

Alongamentos necessários para os músculos do joelho

O alongamento muscular é muito importante para o ganho de flexibilidade, e manutenção da amplitude de movimento. Pode ser realizado passivamente, ou de forma ativa.

  1. Alongamento passivo do músculo isquiotibiais
  2. Alongamento passivo do tensor da fáscia a lata e glúteo médio
  3. Alongamento dos músculos quadríceps, tríceps sural e isquiotibiais

Exercícios para restabelecimento da amplitude articular

Podem ser utilizadas mobilizações passivas, e técnicas de terapia manual com Maitland e Mulligan, que além de auxiliarem na recuperação da amplitude articular, promovem o alívio da dor.

Fortalecimento muscular

Deve ser realizado o fortalecimento global da musculatura bilateral, incluindo tronco e membros superiores, e não apenas dos membros inferiores, porém o foco é do membro que o menisco está lesionado. Os exercícios de fortalecimento podem ser realizados de forma isométrica e isotônica, com uso de caneleiras e elásticos.

  1. Fortalecimento de Glúteo Médio

Inicialmente, é realizado o fortalecimento de quadríceps e flexores de quadril com o membro inferior em extensão de joelho, posição de maior estabilidade da articulação.

  1. Fortalecimento isométrico dos músculos de iliopsoas e quadríceps

A mecanoterapia também é indicada, de acordo com a fase que o indivíduo se encontra. Deve ser usada com cautela, dentro de uma angulação segura.

Exercícios fisioterapêuticos que não devem ser praticados com lesão no menisco

O indivíduo que apresenta lesão meniscal não deve realizar exercícios que estimulem o limite da amplitude máxima do movimento de flexão do joelho, ou qualquer exercício que cause rotação da tíbia sobre o fêmur.

O que esperar do tratamento fisioterapêutico?

O tratamento fisioterapêutico vem ganhando reconhecimento nos últimos anos, possibilitando um grande potencial de recuperação, e apresentando bons resultados em até 70% dos casos de lesões meniscais. Lembrando que, o sucesso e o resultado alcançado vai depender da dedicação do indivíduo durante o processo de reabilitação, e na continuidade dos exercícios aprendidos.

Agende sua fisioterapia >

Tratamento Cirúrgico das lesões meniscais

Caso os sintomas persistirem com tratamento conservador das lesões meniscais, o médico pode sugerir a cirurgia artroscópica. O tratamento de um menisco lesionado dependerá de sua localização, tamanho, tempo de ocorrência, idade e ligação ao esporte do paciente. Classicamente, o menisco lesionado é tratado por artroscopia com a retirada do fragmento lesionado ou meniscectomia parcial, popularmente conhecida como “limpeza meniscal”.

Na grande maioria dos casos, este procedimento é suficiente para aliviar a dor e queixas de travamento e faz com que atletas profissionais retornem ao esporte em 10 a 15 dias pós-operatórios.

O consenso mundial hoje é que deve-se ao máximo preservar o menisco em pacientes jovens com lesões extensas e nos casos em que há desvio de eixo (pernas tortas), pois estes casos podem evoluir mais rápido para degeneração (desgaste) e se tornarem de difícil tratamento. Frente a isso, visando preserva-se ao máximo o menisco, técnicas de sutura (costura) vem sendo desenvolvidas.

As indicações para a sutura de menisco incluem:

  • Lesões longitudinais periféricas < 3 cm;
  • Lesões da transição vermelho-branca em area de 3-5 mm da periferia;
  • Lesão traumática aguda em pacientes jovens.

Procedimento: Artroscopia do joelho é um dos procedimentos cirúrgicos mais realizados . Nele, uma câmara miniatura é inserido através de uma pequena incisão . Isto proporciona uma vista desobstruída do interior do joelho. Os ortopedistas inserem instrumentos cirúrgicos em miniatura (equipo pump, lâmina de shaver e ponteira) através de outras pequenas incisões para cortar ou suturar a ruptura. No caso da sutura de menisco pode ser necessário implantes especiais, principalmente quando a lesão for muito extensa ou ser na raiz do menisco.

>>> Operação por vídeo de rotura de menisco >>>
>>> Mais esclarecimentos sobre as roturas dos meniscos >>>

Dr. Márcio Silveira: Ortopedista Especialista em Traumatologia Esportiva, Joelho - Adulto e Infantil - e Idoso sutura menisco

Sutura do menisco para preservar a função

Sutura de menisco

Sutura de menisco ou meniscorrafia

A sutura de menisco envolve a fixação com pontos da lesão do menisco, e deve ser o procedimento de escolha sempre que as características da lesão permitirem. A sutura visa devolver a estabilidade no lugar da lesão, permitindo que o menisco cicatrize e volte a ter sua função normal, da mesma forma como acontece ao se dar pontos na pele.

Hoje em dia as técnicas e os materiais cirúrgicos para sutura evoluíram bastante, aumentando também o leque de lesões em que se consegue realizar o procedimento.

A técnica de Meniscorrafia tem como objetivo tentar preservar o menisco, tentando “costurá-lo” e não cometendo a meniscectomia, que significa a “perda” de parte do menisco. Existem três técnicas de sutura do menisco: Inside-out (de dentro para fora); Outside-in (de fora para dentro); e All-inside (totalmente por dentro). Todas as suturas são feitas de modo minimamente invasivo, por artroscopia.

A técnica toda dentro (all-inside) é a única das três formas que pode ser realizada sem cortes adicionais. Os cortes da artroscopia são bem pequenos, menores do que 1cm. Normalmente são necessários só 2 cortes.

Fatores prognósticos para as suturas de menisco:

1) Tempo decorrido da lesão;
2) Idade do paciente;
3) Local / Área da lesão;
4) Tipo / Padrão da lesão; e
5) Se a sutura será feita em conjunto com a reconstrução ligamentar ou isoladamente.

No pós-operatório, existe a necessidade de restrição parcial da carga e do arco de movimento nas primeiras semanas, assim como aumenta o tempo de reabilitação e para o retorno as atividades esportivas. Quando avaliamos os resultados da meniscorrafia, encontramos taxas de êxito e sucesso em cerca de 70 a 95% dos casos.

Vantagens em suturar o menisco

A preservação do menisco significa prevenção e retardar o desenvolvimento de artrose no joelho, pois a principal estrutura de absorção de impacto foi preservada. Essa pode ser a diferença ao decidir operar seu joelho.

Fazê-la com cirurgião que está acostumado a realizá-la, que possui o instrumental para isso e com experiência em Medicina Desportiva, pode fazer a diferença no resultado final do seu tratamento. Não só a curto prazo, mas também a médio e longo prazo.

Tratamento da lesão da raiz do menisco

Raiz do menisco

A lesão da raiz do menisco é grave porque é um local em que estes terminam e se fixam no osso. Cada menisco (medial ou lateral) têm duas raízes: uma na parte da frente do joelho (anterior) e outra na parte de trás (posterior).

Quando uma pessoa apoia o peso sobre o joelho, a força exercida sobre os meniscos tende a fazer com que eles sejam “expulsos” para fora do joelho. Isso não acontece devido à forte fixação que os meniscos têm em suas raízes, as quais atuam como uma âncora.

Na presença de uma lesão da raiz, esta ancoragem é perdida, levando à extrusão do menisco. Estudos biomecânicos demonstram que o menisco extruso se comporta da mesma forma do que uma retirada completa dos meniscos, podendo levar ao desenvolvimento precoce de artrose nos joelhos.

Lesão da raiz do menisco

A lesão da raiz dos meniscos acomete a sua inserção na tíbia, geralmente na sua inserção posterior, embora também possa ocorrer na inserção anterior. Pode ocorrer tanto no menisco lateral ou medial. As publicações sobre este tipo de lesão tem aumentado nos últimos anos, e alguns autores tem denominado este tipo de lesão como “o início do fim do joelho”.

Isto porque quando ocorre este tipo de lesão o menisco tende a se deslocar durante o apoio do peso, deixa de absorver impacto, e aumenta a pressão na cartilagem articular. Estudos recentes tem demonstrado que a lesão da raiz do menisco apresenta um grande risco de evolução para artrose.

Tipos de lesão da raiz meniscal

As lesões das raízes dos meniscos podem ser divididas em dois grupos:

  • Lesões degenerativas: Representam a maior parte das lesões. Acometem pacientes de meia idade, mais frequentemente mulheres. Podem estar associadas também a obesidade, sedentarismo e deformidade em varo dos joelhos. O paciente tipicamente não se recorda de um evento traumático, ou então a lesão ocorre após um movimento simples, como ao se ajoelhar ou se agachar. São mais comuns na raiz posterior do menisco medial.
  • Lesões traumáticas: Observadas após traumas agudos, muitas vezes em associação com lesões do ligamento cruzado anterior (LCA). São mais comuns em pacientes jovens do sexo masculino. Ocorrem mais frequentemente na raiz posterior do menisco lateral.

lesão da raiz do menisco

Dr. Márcio Silveira: Ortopedista Especialista em Traumatologia Esportiva, Joelho - Adulto e Infantil - e Idoso lesao raiz meniscal

Tratamento da lesão da raiz meniscal

Há um enfoque atual no tratamento cirúrgico para reparar a raiz do menisco em casos de lesão. Os trabalhos mais recentes tem demonstrado resultados superiores quando o menisco é reparado, comparado ao tratamento não-operatório ou a meniscectomia, tanto em melhora dos sintomas quanto menor evolução da artrose.

Entretanto fatores prognósticos também foram identificados, contribuindo na seleção ideal dos casos para a cirurgia ou tratamento não operatório. Pacientes com artrose, idade avançada e deformidade do joelho tendem a pior resultado quando comparado a pacientes jovens, com cartilagem preservada e sem deformidade. Além disso, nestes últimos casos faz muito mais sentido o emprego de cirurgia para reparo do menisco e preservação da cartilagem articular.

Lesões da raiz do menisco medial

As lesões de raiz do menisco medial ocorrem frequentemente em um cenário de artrose moderada ou grave, devendo nestes casos serem tratadas sem cirurgia. Nestes casos, o menisco é geralmente degenerativo ou desgastado, e os estudos demonstraram que, se essas lesões forem corrigidas cirurgicamente, elas se romperão novamente em um período muito curto de tempo.

Na presença de osteoartrite mínima e na ausência de obesidade ou mau alinhamento, a cirurgia poderá ser indicada. O reparo tende a melhorar as queixas do paciente, além de retardar a progressão da artrose.

Lesões da raiz do menisco lateral

As lesões da raiz do menisco lateral costumam ocorrer após traumas graves, com lesão associada do Ligamento Cruzado Anterior. Estas lesões têm indicação para tratamento cirúrgico.

Técnica cirúrgica

O reparo cirúrgico das lesões de raiz do menisco é tecnicamente bastante diferente do reparo que é feito em outros tipos de lesões meniscais. Depois de fazer uma sutura em torno da raiz do menisco, perfuramos um buraco da frente da tíbia (osso da perna) para a área da raiz. Depois, as suturas são levadas por este furo e fixadas na frente da tíbia.

Prognóstico

Estudos demonstram resultados bastante variáveis com a cirurgia, alguns demonstrando que uma alta porcentagem de reparos são bem-sucedidos e outros mostrando que a taxa de sucesso pode ser muito menor. A taxa de sucesso será determinada por muitos fatores:

  • Características da lesão: lesões degenerativas em pacientes com artrose não levarão a um bom resultado.
  • Cirurgia: O sucesso da cirurgia depende de se conseguir fixar o menisco em seu local original. Quando o cirurgião não for capaz de corrigir uma eventual extrusão meniscal o menisco não será capaz de recuperar sua função e o resultado será insatisfatório.
  • Cicatrização do menisco: Depende, por um lado, da qualidade do reparo obtido com a cirurgia, e por outro do respeito ao protocolo de reabilitação após a cirurgia.

Pós-operatório

Após a cirurgia, o paciente deverá permanecer seis semanas em uso de muletas sem a descarga de peso na perna operada. A mobilização se inicia de imediato, sendo limitada a um arco de movimento de 0 a 60 graus nas três primeiras semanas, depois 0-90 graus na próximas 3 semanas e após mobilização completa após este período.

>>> Protocolo de pós-operatório >>>

pequenas incisões para reparo de lesões meniscais

Técnicas operatórias para tratamento de menisco (cirurgia de menisco)

Reabilitação no tratamento de lesões meniscais

Após a cirurgia, o médico pode orientá-lo a ficar de repouso ou mobilizar o joelho dependendo do reparo realizado. No caso da simples ressecção da região lesionada, não há nada para cicatrizar, portanto o retorno às atividades é rápido. Oriento 1 semana de apoio com muletas, já com carga parcial, e já na segunda semana o paciente está autorizado a andar sem muletas. Quando é realizada a sutura do menisco, é necessário um período mais longo de muletas, entre 4 a 6 semanas, período para cicatrização da região suturada. Uma vez que a cura inicial das lesões meniscais é completa, o seu médico irá prescrever exercícios de reabilitação . O exercício físico regular para restaurar sua mobilidade do joelho e força é necessário. Você vai começar com exercícios para melhorar a sua amplitude de movimento . Exercícios de fortalecimento serão gradualmente adicionados ao seu plano de reabilitação .

>>> Exercícios em casa para reabilitação do joelho >>>

Para a maior parte, a reabilitação será realizada na fisioterapia. Tratamento especializado e individualizado em Brasília / DF.

Prevenindo lesões no menisco

A melhor forma de prevenir lesões meniscais é evitar trauma direto e movimentos rotacionais bruscos, além do fortalecimento global da musculatura, principalmente do tronco ( CORE, que é o “centro do nosso corpo”). O tronco é formado por vários músculos profundos localizados no tronco, abdômen, quadril e assoalho pélvico. E estes músculos estando fortalecidos, permitem uma melhor mobilidade dos membros, tanto inferiores quanto os superiores, ficando menos susceptíveis a lesões.

Treino funcional proprioceptivo

Propriocepção é o termo utilizado para descrever a percepção do próprio corpo e inclui a consciência da postura, sensação do movimento e posicionamento da articulação. As articulações necessitam de informações precisas e rápidas sobre o correto posicionamento articular, o grau de amplitude e alinhamento corporal. Os movimentos ou mudanças na posição de uma articulação estimulam uma variedade de receptores que permitem a apreciação consciente da posição dos membros no espaço. O objetivo do treinamento funcional proprioceptivo é manter o equilíbrio postural e a estabilidade articular para promover o retorno dos indivíduos as atividades diárias e esportivas. Os treinos funcionais proprioceptivos devem ser compostos por exercícios dinâmicos, multidirecionais e com instabilidade, ou seja, deve-se causar propositalmente desequilíbrio e instabilidade durante a execução de determinados exercícios, ativando ao máximo os receptores sensoriais e fibras musculares. Dessa forma, saltos, corridas, mudanças abruptas de direção e exercícios resistidos realizados em superfícies instáveis fazem parte de um programa proprioceptivo. Diversos equipamentos podem ser utilizados, tais como: bolas suíças, bozzu, cama elástica, balancinho, e pisos irregulares (areia, gramado, terrenos acidentados), etc.

Perguntas frequentes

Re-rotura de menisco2022-12-25T12:14:12-03:00

É importante saber que pacientes com menisco de má qualidade (degenerado) podem ter nova lesão ou rerotura em outra área do menisco; pacientes com lesão na cartilagem podem ainda persistir com alguma dor residual após o procedimento. É também importante ressaltar que algumas atividades de maior impacto podem ser contraindicadas caso o ortopedista que operou perceba lesões incompatíveis com essas atividades.

Após cirurgia meniscal, a ressonância pode mostrar imagem que muitas vezes é confundida com nova lesão, mas que na verdade representa apenas “cicatrizes”.

Tipos de ruptura meniscal >

Quais os riscos de uma cirurgia de menisco?2020-02-24T18:05:33-03:00

Possíveis riscos da artroscopia: o risco de complicações de uma artroscopia é muito baixo, no entanto, como em qualquer outra cirurgia, pode acontecer hemorragia durante a cirurgia, infecção no local da ferida, reação alérgica à anestesia, surgimento de rigidez no joelho ou lesões nas estruturas saudáveis do joelho.
O que acontece se não operar o menisco lesionado?2023-06-11T10:05:12-03:00

Estas lesões são, na maioria das vezes, cirúrgicas, pois o menisco tem baixo potencial de cicatrização e podem aumentar, trazendo mais sintomas álgicos. As lesões degenerativas são causadas pelo envelhecimento do menisco e podem ser tratadas inicialmente sem cirurgia. Ele perde a sua configuração original e pode causar dor.

[jetpack-related-posts]

2024-07-09T15:38:23-03:00

Sobre o Autor:

Dr. Márcio R. B. Silveira, formado em 2006 pela faculdade federal de medicina da Universidade de Brasília (UnB), com especialização, no ano de 2009, em Traumatologia e Ortopedia pela residência da SES / DF, com subespecialização, no ano de 2012, em cirurgia do joelho e trauma esportivo em Belo Horizonte / MG, acompanhando os médicos do Cruzeiro Esporte Clube nos hospitais Maria Amélia Lins, Lifecenter, Belo Horizonte, Belvedere e João XXIII. Médico ortopedista especialista em Traumatologia com foco em Esportiva (ombro, quadril, tornozelo, pé, cotovelo), Cirurgia do Joelho, Adulto e Infantil, e Ortopedia do Idoso em Brasília / DF.

2 Comentários

  1. SEVERINO BARBOSA DA SILVA JUNIOR 4 de junho de 2019 em 07:54- Responder

    Excelente. Complexo e bem explicado. Linguagem clara e pontual. Parabéns Dr. Márcio e obrigado por compartilhar esse importante tópico.

  2. drmarciosilveira 5 de junho de 2019 em 11:18- Responder

    Fico muito satisfeito que tenha sido instrutivo :)

Deixar Um Comentário

Ir ao Topo