As lesões dos meniscos são raras na infância, ocorrendo principalmente no final da adolescência, com picos a partir da terceira e quarta décadas de vida. A principal causa é o trauma da articulação, porém, após os 50 anos de vida deve-se principalmente à degeneração do joelho. Portanto a lesão meniscal não é exclusiva dos “jogadores de futebol”. As mulheres inativas também são altamente propensas a desenvolver lesão de menisco degenerativa.

tipos de rupturas dos meniscos

Meniscos

O menisco medial é semicircular e anexado ao ligamento colateral medial (LCM) do joelho. É muito pouco móvel se comparado ao menisco lateral, deslocando-se somente 2-5 mm para dentro da articulação e, portanto, é mais propenso a lesões. O menisco lateral é mais ou menos circular em forma e move-se 9-11 mm. Chama a atenção o que chamamos de “anatomia vascular dos meniscos”: estudos demonstraram que sua periferia é bem irrigada, por isso chamada de “zona vermelha” e sua região central não, recebendo nutrientes por embebição, por isso chamada de “zona branca”.

>>> Saiba sobre a Anatomia dos meniscos >>>

Causas de lesões dos meniscos

A origem da lesão do menisco pode variar de movimentos corriqueiros do joelho como flexões, quedas, entorses, traumas no lar ou durante atividades esportivas. O paciente relata dor, apresenta-se mancando e a articulação do joelho mostra crepitações (barulhos, estalos), e limitação do movimento.

Lesões meniscais são muito comuns e podem ser traumáticas agudas, como, por exemplo, durante uma luta de jiu-jitsu ou judô ou degenerativas. Lesões dos meniscos traumáticas ocorrem classicamente durante as forças de torção no joelho em pessoas ativas jovens. A posição clássica é a do joelho flexionado ao extremo como, por exemplo, quando o individuo esta agachado ou ajoelhado que sofre entorse repentino.

Nos casos de lesões pequenas, em que o paciente não está sentindo nenhum sintoma, não é necessária cirurgia, sendo o tratamento fisioterápico suficiente. Já nos casos de dor persistente, pode ser realizado um tratamento chamado artroscopia. Neste tratamento, uma câmera é introduzida na articulação e permite que o médico veja diretamente as lesões presentes. O tratamento pode ser feito com a sutura (dar pontos, geralmente em pacientes jovens) do menisco, ou mais comumente pode ser feita a retirada da parte rompida do menisco.

Tipos de lesões dos meniscos

As lesões de meniscos ocorrem de diferentes maneiras, são classificadas pela sua aparência, bem como onde a ruptura ocorre no menisco. As mais comuns incluem longitudinal, bico-de-papagaio, alça de balde e mista / complexa, menisco extruso.

O menisco pode apresentar vários tipos de lesão: ruptura parcial, total e complexa. Além disso, a ruptura do menisco pode ocorrer sozinha ou associada à ruptura de ligamentos ou artrose no joelho.

Lesões degenerativas ocorrem como parte do desgaste progressivo em todo o conjunto, mais frequentemente em pacientes acima de 40 anos. Estas lesões são de clivagem, geralmente horizontais com mínima capacidade de cura.

As lesões podem ser descritas como sendo completas ou incompletas, estáveis ou instável e de vários padrões.

Lesões meniscais relacionadas com esportes muitas vezes ocorrem juntamente com outras lesões no joelho, tais como ruptura do ligamento cruzado anterior.

A maioria é composta de lesão vertical ou oblíquo (80%). O menisco medial é mais comumente afetado – 75% contra 25% no menisco lateral, 5% dos pacientes terão lesões bilaterais.

Alguns tipos de lesões dos meniscos podem provocar uma ação semelhante a válvula dentro da substância do menisco, e isso pode levar à formação de um cisto meniscal, que deve ser tratada da mesma forma, abordando o problema principal que é a lesão no menisco. A chance da formação de um cisto meniscal no menisco lateral é sete vezes maior que a do menisco medial.

Sintomas das lesões meniscais

Você pode sentir um “pop” quando machuca um menisco. A maioria das pessoas ainda podem andar com seu joelho lesionado. Muitos atletas continuam a jogar com uma lesão no menisco. Mas, de 2 a 3 dias, o joelho irá gradualmente tornar-se mais rígido e inchado.

Os sintomas mais comuns de ruptura meniscal são:

  • Dor
  • Rigidez e inchaço
  • Bloqueio do seu joelho
  • A sensação de seu joelho “voltando para o lugar”
  • Você não é capaz de mover seu joelho através de toda a amplitude de movimento

Sem tratamento, um pedaço do menisco rompido pode se soltar e flutuar dentro da articulação. Isso pode fazer com que seu joelho a falhe, doa ou bloqueie.

Exame dos meniscos

Exame físico e história do paciente

Depois de discutir os seus sintomas e histórico médico, o médico irá examinar o seu joelho. Ele irá verificar se há dor ao longo da linha da articulação, onde o menisco sensibiliza. Isso geralmente sinaliza uma ruptura do menisco.

Os exames de imagem

Como outros problemas no joelho podem causar sintomas semelhantes, o médico pode solicitar exames de imagem para ajudar a confirmar o diagnóstico da ruptura do menisco.

Radiografias: embora os raios X não mostrem lesões meniscais, podem mostrar outras causas de dor no joelho, como a osteoartrite.

Ressonância magnética (RM): este estudo pode criar melhores imagens dos tecidos moles do joelho.

>> Conheça o Tratamento das rupturas de meniscos >>>

Referências:

  1. Compreendendo as lesões das raízes posteriores dos meniscos: da ciência básica ao tratamento
  2. CARACTERÍSTICAS DAS IMAGENS DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA EM LESÕES MENISCAIS DO TIPO ALÇA DE BALDE
Muito bom! Você leu todo o conteúdo. Gostou? Divulgue para seus amigos(as) e deixe um comentário ou dúvida aqui 
clínica salus trata

Agende uma consulta!

Descubra nossos protocolos de tratamento eficazes e sem cirurgia, baseados em exame clínico detalhado, análise computadorizada da marcha e corrida e mais de 60 trabalhos científicos.

HORÁRIOS DE ATENDIMENTO

Segunda à Sexta em horário comercial

Veja a agenda clicando aqui

Deixe uma avaliação!